Folha Vitória Após cinco dias de greve dos motoristas coletores, lixo continua acumulado nas ruas da Grande Vitória

Após cinco dias de greve dos motoristas coletores, lixo continua acumulado nas ruas da Grande Vitória

Em algumas ruas, moradores afirmam que desde segunda-feira, dia em que a paralisação foi retomada, não passou nenhum carro coletor de lixo

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A greve dos motoristas dos caminhões que fazem a coleta de lixo no Espírito Santo entrou, nesta sexta-feira (27), no seu quinto dia. Apesar do serviço estar sendo feito parcialmente pelas prefeituras, o acúmulo de lixo é visível em vários pontos da Grande Vitória. Em algumas ruas, moradores afirmam que desde segunda-feira não passou nenhum carro coletor.

A equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV circulou por vários bairros da região metropolitana na tarde desta sexta-feira. Foi encontrada uma equipe de coletores de lixo trabalhando em Vitória, no bairro Santo Antônio. Os garis vinham na frente organizando o material e, alguns minutos depois, um caminhão aparecia para fazer a coleta, sob escolta da Guarda Municipal.

Também foram encontrados pontos com grande concentração de lixo no Morro dos Alagoanos e em São Pedro, em Vitória, além dos bairros Colina de Laranjeiras, na Serra, e Jardim América, em Cariacica. Os moradores reclamam que a coleta só é feita nas ruas principais dos bairros.

Entretanto, existem muitos outros pontos onde a coleta de lixo não tem sido feita adequadamente nos últimos dias, inclusive no interior do estado. Ao todo, a paralisação atinge 19 municípios capixabas. 

Se for levado em consideração que o cidadão brasileiro produz, em média, 1,2 kg de lixo por dia, pode-se dizer que, juntando Serra, Vila Velha, Cariacica e Vitória, a produção diária de lixo chega a aproximadamente 1,8 mil toneladas na Grande Vitória. 

Se não bastasse o déficit na coleta de lixo durante a semana, o serviço é suspenso nos fins de semana. Com isso, a tendência é que a semana que vem comece com ainda mais sujeira nas cidades. 

Entenda o caso

A paralisação dos motoristas de caminhões que realizam a coleta do lixo foi iniciada no dia 12 de novembro. O movimento foi suspenso temporariamente por conta do primeiro turno das eleições municipais, mas foi retomado na última segunda-feira. 

Os trabalhadores querem um reajuste salarial de 4,7%. No entanto, segundo o Sindirodoviários, que representa a categoria, as empresas oferecem 2,4% de reajuste, o que não tem agradado os trabalhadores. Atualmente, dependendo do tipo de veículo, os motoristas coletores recebem um salário que varia entre R$ 2,1 mil e R$ 2,7 mil. 

>> VÍDEO | Caminhões de lixo de Vitória têm vidros quebrados e pneus furados durante greve

A Justiça já determinou que 70% do serviço de coleta de lixo seja realizado nos 19 municípios do Espírito Santo atingidos pela greve da categoria. No entanto, de acordo com o Sindicato das Empresas de Limpeza Pública do Espírito Santo (Selures), a determinação não está sendo cumprida. Já o Sindirodoviários garante que está sim cumprindo a determinação judicial.

Enquanto o impasse não é resolvido, as prefeituras orientam que a população não descarte lixo em locais inadequados e apenas nos horários indicados.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV 

Últimas