Folha Vitória Casos de ansiedade aumentam em 80%; veja os alimentos que podem amenizar os sintomas

Casos de ansiedade aumentam em 80%; veja os alimentos que podem amenizar os sintomas

Desordem psicológica pode gerar gatilho que afeta nas escolhas alimentares, interferindo na quantidade e qualidade dos alimentos ingeridos

Folha Vitória
Foto: Divulgação/ P+G Comunicação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A ansiedade é uma emoção caracterizada por um estado de agitação interior, muitas vezes acompanhada de comportamento nervoso. Geralmente se explica como um sentimento desagradável de terror por eventos antecipados. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil já era o país mais ansioso do mundo, mesmo antes da pandemia do Novo Coronavírus, com mais de 18 milhões de brasileiros convivendo com o transtorno.

Atualmente, um estudo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro mostrou um crescimento de 80% nos casos de ansiedade entre os brasileiros durante a pandemia. Irritabilidade, tensão, dificuldade de se concentrar e de dormir são alguns dos sintomas característicos do Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG) de acordo com o manual de classificação de doenças mentais, estimativas realizadas pela clínica Pontual Saúde, também registram esse mesmo aumento quando o assunto são as crises de ansiedade.

O nutricionista Edgar Britto explica que com o cenário atual de incertezas, tarefas diárias de casa acumuladas, além dos prazos curtos de trabalho, os níveis de estresse podem aumentar. Mas quando se trata de combater os níveis de tensão, o que você come pode realmente ajudar a estabilizar a sua resposta emocional.

Como forma de tratamento, o mais comum é o acompanhamento com um psicólogo e, em casos mais extremos, a introdução de remédios psicotrópicos. No entanto, "alguns alimentos contêm aminoácidos e vitaminas essenciais que atuam diretamente na diminuição do estresse, combatendo a ansiedade e aumentando os níveis de serotonina, responsável pelo bem-estar e pela sensação de relaxamento", aponta o nutricionista.

Para auxiliar quem busca amenizar os sinais de ansiedade, Edgar Britto listou alguns alimentos

Ácidos graxos ômega 3 e ômega 6: Importantes constituintes das células do sistema nervoso. Alguns exemplos são os peixes como: salmão, sardinha e atum. (Ômega 6): óleos de soja, girassol e milho (consumo moderado).

Frutas: alimentos ricos em antioxidantes como frutas vermelhas e cítricas ajudam a proteger células cerebrais, contribuindo para o bom funcionamento do sistema nervoso central. A vitamina C também presente nesses alimentos diminui a secreção de cortisol, hormônio liberado em situações que geram estresse e ansiedade. “Além de consumir essas frutas in natura, é possível também incluir sucos integrais ou geléias das frutas na dieta”, disse o especialista.

Vitaminas do complexo B: Importante papel nos processos de síntese dos neurotransmissores. Podem ser encontradas em carnes vermelhas, como o fígado, também no iogurte, vegetais verde escuros, peixes, ovos, frutas e leite.

Cereais integrais: Por apresentarem carboidratos complexos, cereais integrais como arroz, aveia e trigo ajudam a manter o nível de açúcar no sangue equilibrado, fator responsável pela sensação de calma prolongada.

Vitamina C: Encontrada em frutas cítricas como limão, laranja, tangerina, morango, acerola, amora e outras. A vitamina C tem a capacidade de diminuir o cortisol, o hormônio do estresse, melhorando o quadro de ansiedade.

Proteínas vegetais: ervilha, soja, lentilha e feijão são alguns exemplos de proteínas vegetais que atuam na regulação de serotonina, conhecido como hormônio da felicidade por promover a sensação de relaxamento e bem-estar.

Últimas