Folha Vitória Compra da Uniaves pela Pif Paf pode gerar pelo menos 750 empregos no Sul do ES

Compra da Uniaves pela Pif Paf pode gerar pelo menos 750 empregos no Sul do ES

Com o negócio, a expectativa é que a produção atual aumente em 30%, o que pode gerar novas vagas de emprego

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Pif Paf Alimentos anunciou nesta semana a compra da empresa capixaba Uniaves. Localizada em Castelo, no Sul do Espírito Santo, a indústria já é considerada uma das maiores produtoras de frango do Estado e deve aumentar a produção atual em 30%.

O crescimento da companhia também deve gerar novas vagas de emprego. De acordo com o diretor-presidente e sócio da Uniaves, Ricardo Brunoro, a corporação tem, atualmente, 1.250 funcionários e deve ultrapassar 2 mil com a previsão de aumento da produção.

As vagas de emprego que serão abertas podem ser consultadas no site da Uniaves. Caso não tenha nenhuma vaga do interesse aberta, os candidatos também podem realizar o cadastro e enviar o currículo pelo site.

Produção e marca serão mantidas

Segundo Brunoro, a Uniaves tem a capacidade de realizar cerca de 100 mil abates por dia, chegando até 180 mil. Com a mudança, a ideia é que a produção ganhe mais velocidade. Perto de completar 12 anos, a companhia oferece cerca de 80 produtos, em diferentes linhas.

Sob a gestão da Pif Paf, o funcionamento da Uniaves será mantido normalmente. No comunicado sobre a negociação, a empresa nacional destacou que irá manter o respeito aos colaboradores, fornecedores, clientes, consumidores, comunidade e parceiros envolvidos na atividade.

Ricardo Brunoro também garantiu que a qualidade será mantida e a marca Uniaves também. "Normalmente é normal, quando vemos uma negociação, as pessoas pensarem que será alterada. Mas, a Uniaves é uma marca de peso, consolidada e está na mesa dos capixabas", declarou.

O interesse pela compra e venda, segundo ele, partiu de ambas empresas. "As duas têm muita sinergia, estão próximas e possuem forte atuação no mercado alimentício", finalizou. 

Negócios ainda indefinido 

O fechamento da transação realizada entre as empresas está condicionado à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e à verificação de outras condições usuais em operações dessa natureza.

Para Brunoro, a expectativa da venda é enorme, uma vez que a empresa capixaba já tinha pretensões de crescer. Com o negócio firmado, segundo ele, o processo será acelerado e toda a região Sul do Espírito Santo será beneficiada com a expansão.

"Toda a região será beneficiada. Um impacto positivo para a economia, que pode refletir na geração de empregos, aumento das vendas, no transporte e na ferrovia", pontuou Brunoro.

Últimas