Folha Vitória Criança de Guarapari que nasceu dentro de carro e ficou 464 dias na UTI recebeu alta

Criança de Guarapari que nasceu dentro de carro e ficou 464 dias na UTI recebeu alta

A pequena Alícia Rangel tem apenas um ano e três meses e, finalmente, vai conhecer seu lar

Folha Vitória
Foto: Foto: Arquivo Pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Após 464 dias internada na UTI do Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (HIFA) de Guarapari, a pequena Alícia Rangel Machado, de um ano e três meses, recebeu alta médica. Ela ficou internada desde o nascimento.

Após passar seus quinze primeiros meses de vida dentro de um hospital, a pequena Alícia superou as sequelas provocadas por um parto pré-maturo.

A mãe da menina, Ana Paula Rangel Machado, 33 anos, é trabalhadora rural. Ela contou que estava a caminho do hospital para dar à luz, quando a criança nasceu dentro do carro e caiu de cabeça no chão do veículo.

“Em casa, senti o líquido saindo (a bolsa estourou) e meu marido achou melhor irmos logo para o hospital. No caminho, Alicia nasceu. Não tinha cinco minutos que tínhamos saído de casa. Eu estava no banco da frente. Ela saiu sozinha, e caiu no chão. Era muito pequenininha e não deu tempo de segurar. Ela bateu a cabeça no chão do carro. Teve hemorragia na cabeça, hidrocefalia, e tudo isso regrediu sozinho", explicou a mãe.

Alícia nasceu prematura, aos sete meses de gestação. Ana Paula contou que enfrentou dias muito difíceis. Ela ficava com a filha no hospital cerca de 11 horas por dia, de 9h às 20h.

“No início fiquei muito desesperada, a gente nunca imagina passar por uma situação dessas. Mas é preciso ter força pra continuar. Eu procuro viver um dia de cada vez, sempre focada no dia de hoje”, contou.

A mãe da pequena Alícia ainda elogiou o carinho que a equipe do hospital teve com ela e sua filha. 

“A equipe do hospital é maravilhosa, eu só tenho a agradecer. Aqui é como se fosse a nossa segunda família, principalmente porque ela só conhece eles, né? Recebemos todo amor, carinho, cuidado, não só como profissionais”, afirmou.

Foto: Foto: Arquivo Pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A médica do HIFA, Aline Rodrigues de Souza, explicou que a permanência durante todo esse tempo no hospital foi em consequência da prematuridade e das lesões cerebrais que foram ocasionadas tanto pelo fato de ser prematura e de ter nascido fora do hospital. A pequena completou um ano de vida no último dia 30 de junho deste ano.

Últimas