Folha Vitória Familiares de mulher atropelada em briga de trânsito estiveram no DML de Vitória

Familiares de mulher atropelada em briga de trânsito estiveram no DML de Vitória

Motorista que perseguiu e atropelou a moto foi autuada em flagrante pela Polícia Civil

Folha Vitória
Foto: Thamiris Guidoni / Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

No final da manhã desta sexta-feira (27), os familiares de Franciani Bueque da Silva, que estava na garupa da moto que foi atropelada após uma briga de trânsito em Guarapari, estiveram no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, para reconhecimento e liberação do corpo.

O companheiro da vítima Webster Luiz Santos Lopes que conduzia a moto segue internado em estado grave no Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE).

A briga de trânsito aconteceu nesta quinta-feira (26), no bairro Parque Areia Preta, em Guarapari. Franciani estava na garupa da moto que era pilotada pelo companheiro, Webster Luiz.

Testemunhas relataram que o desentendimento começou, porque o motociclista teria esbarrado no retrovisor do carro dirigido por Karen Keithy Morais Ferreira, dando início a uma discussão e a uma perseguição pelas ruas de Guarapari.

Karen foi presa e autuada em flagrante pela Polícia Civil por um homicídio consumado e um tentado, ambos por motivo fútil. Ela foi levada para o Centro Prisional Feminino de Cariacica.

O advogado que estava atendendo a motorista afirmou à TV Vitória/Record TV que não irá assumir o caso, devido à uma divergência com ela.

Câmeras registraram o momento em que a moto foi atingida e arrastada por mais de 300 metros

Tia da vítima está inconformada: "Nada justifica o que ela fez"

A tia de Franciani, Angelita Bueque da Silva, contou ao jornalismo da TV Vitória/RecordTV que a família está arrasada: "Estamos sem chão, tem gente na família passando mal, estamos todos arrasados".

Para ela, nada explica a atitude da motorista: "Problemas todos nós temos, ainda mais nesses tempos de pandemia. Mas não existe motivo para ela fazer o que fez".

Franciani Bueque da Silva deixou dois filhos adolescentes.

A família da motorista que provocou o atropelamento também foi procurada pela reportagem, mas não atendeu.

O caso seguirá sob investigação da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (Dhpp) de Guarapari.

* Com informações da repórter Jéssica Cardoso, da TV Vitória/Record TV.

Últimas