Folha Vitória Hipertensos e obesos terão mais facilidade para comprovar comorbidades no ES

Hipertensos e obesos terão mais facilidade para comprovar comorbidades no ES

No caso da obesidade mórbida, a Secretaria de Saúde passou a permitir laudo emitido por nutricionistas. Para hipertensos, serão aceitos aqueles com descrição “hipertensão arterial”, independente da confirmação de lesão em órgão alvo

Folha Vitória
Foto: Fernanda Neves/Secom-PMS
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Na intenção de facilitar a emissão de laudos que comprovem comorbidades para vacinação contra a covid-19, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) anunciou algumas alterações nos procedimentos para hipertensos e obesos mórbidos.

No caso da obesidade mórbida, também será aceito laudo emitido por nutricionistas. Já para os hipertensos, serão aceitos aqueles com a descrição “hipertensão arterial”, independente da confirmação de lesão em órgão alvo.

A recomendação da Sesa é que sejam aceitos laudos, prescrições médicas, cadastro preexistentes na unidade básica ou declarações do enfermeiro dos serviços de saúde onde o usuário faz tratamento com a descrição da comorbidade ou condição existente.

Mundanças para facilitar a imunização

Em uma entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (10), o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, falou sobre a mudança. 

"Nós reconhecemos que a criação de muitos requisitos para quem tem comorbidade atrapalha a velocidade da vacinação, principalmente entre as pessoas hipertensas" disse. 

De acordo com Nésio, o critério estabelecido pelo Ministério da Saúde para vacinar as pessoas com hipertensão "é um critério que acaba sendo de difícil personalização por conta dos laudos muito específicos, muito técnicos, muito especializados que teriam que ser disponibilizados", pontuou. 

Por isso, segundo o secretário, algumas mudanças precisaram ser feitas. O objetivo é acelerar a imunização do grupo com comorbidades considerando a ampla disponibilidade de vacinas da AstraZeneca. 

Dificuldade para emitir laudos diminui a procura pela vacina 

As mudanças devem ser estendidas para outras categorias. Segundo o secretário, a dificuldade para conseguir os laudos fez com que muitos capixabas que tinham direito ao imunizante não o procurassem.

"Tivemos tanto em Vitória, Cariacica e outros da Região Metropolitana uma ociosidade de vagas ofertadas que não foram preenchidas. Avaliamos que foi por conta dessa questão dos laudos e também das confusões estabelecidas no que diz respeito aos critérios. Estamos apelando à população com todos aqueles que possuem comorbidades que procurem em cada município e agendem sua vacina e que receba sua proteção de vida, de ciência, aquela proteção de esperança trazida pela vacina da AstraZeneca e, neste momento, pela vacina da Pfizer disponibilizada em Vitória", reforçou. 

Vacinação seguirá as determinações da CIB 

Apesar das alterações, a Sesa esclareceu que as ações de vacinação deverão seguir as estratégias definidas em pactuação entre o Estado e os municípios, na Comissão Intergestores Bipartite. 

A CIB é responsável por definir as fases a serem seguidas, de acordo com o quantitativo de doses disponibilizadas e a relação do documento comprobatório que deverá ser apresentado no ato da vacinação

O subsecretário estadual de Saúde, Luiz Carlos Reblin, orientou mais uma vez os capixabas a procurarem as unidades de saúde. "Em relação ao laudo, procure o serviço de saúde onde a pessoa é veiculada. A unidade de saúde está apta a fornecer uma comprovação da sua comorbidade", finalizou.

Últimas