Metade dos alunos em sala e atividades remotas: veja os detalhes do plano de retorno das aulas na rede pública do ES

O planejamento é composto por três eixos: Aspectos Pedagógicos, Aspectos Psicossociais, e Aspectos Sanitários/Administrativos

Foto: Secom/PML
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Plano de Retorno às Atividades Presenciais das escolas da rede pública estadual do Espírito Santo foi divulgado pela Secretaria de Educação do Estado (Sedu). O documento ficará disponível para consulta pública até o dia 14 de setembro. Em pronunciamento via internet na noite da última sexta-feira (04), o governador Renato Casagrande disse que o Estado tem o interesse de retomar as atividades presenciais nas escolas a partir de outubro.

O plano é um documento extenso e detalhado que prevê o retorno às aulas presenciais das escolas públicas estaduais, em regime de revezamento semanal, gradual e em etapas. O planejamento é composto por três eixos: Aspectos Pedagógicos, Aspectos Psicossociais, e Aspectos Sanitários/Administrativos.

Aspectos Pedagógicos

De acordo com o documento, para a retomada haverá a diminuição de alunos por turma, ficando 50% presencial e outros 50% não presenciais, por meio das Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNP).

O retorno das aulas será por etapas, sendo a primeira para a Semana de Acolhimento dos Professores. Uma semana depois, será a Etapa 2, com retorno para alunos do Ensino Médio, Educação Profissional e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A Etapa 3 se dará na sequência, com um intervalo de 15 dias, para o Ensino Fundamental Anos Finais; e, por último, a Etapa 4, também seguindo um intervalo de 15 dias, será para o Ensino Fundamental Anos Iniciais.

Aspectos psicossociais

O Plano sugere às escolas reservar um tempo para ouvir como os profissionais estão e como se deram as vivências dos mesmos no período de isolamento. Este momento deverá servir também para a orientação sobre os protocolos de higienização e de convivência, o que deve ser reforçado insistentemente para o devido cumprimento.

Para os alunos, o Plano também traz orientações para o acolhimento com atividades que trabalhem a comunicação das diretrizes de biossegurança, mas também para ouvir sobre o que eles viveram e sentiram durante o distanciamento social.

Aspectos sanitários

O Plano traz recomendações da OMS, bem como as orientações do Ministério da Saúde e da Sesa, para que as unidades escolares adotem os protocolos de acesso à escola, no retorno dos estudantes às atividades presenciais, sendo alguns deles:

- Funcionários na portaria com equipamento de proteção individual (EPI) para borrifar álcool (70º) nas mãos dos estudantes e funcionários;

- Todos devem ser orientados a entrar separadamente, preservando a distância mínima de 1,5 metro em relação aos outros;

- Desinfecção de mãos: incentivar e demonstrar a correta lavagem das mãos com água e sabão; e disponibilizar álcool 70% em locais de fácil acesso;

- Uso de máscaras: o uso de máscaras de proteção individual é obrigatório;

- Medição de temperatura: usar termômetro digital de testa para aferir a temperatura, diariamente, dos estudantes, professores e demais profissionais da escola.

Aspectos administrativos

Por fim, o planejamento traz medidas quanto aos profissionais que apresentem algum tipo de comorbidade (que estejam dentro do grupo de risco) e orientações para que este público possa seguir em trabalho remoto, dando continuidade à execução das Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs), por meio do Programa EscoLAR.

Leia o documento na íntegra, clicando aqui. Quem quiser opinar, deverá enviar a contribuição, por meio de formulários, até o dia 14 deste mês.

ASPECTOS PEDAGÓGICOS - https://forms.gle/Kaxunfb6crPYCMgX7

ASPECTOS PSICOSSOCIAIS - https://forms.gle/qRsTzkDrnAoaBHCC7

ASPECTOS SANITÁRIOS E ADMINISTRATIVOS - https://forms.gle/cHbnAk6fDdAuFhwJ7