Folha Vitória Mulher que matou amiga grávida fingiu gestação após perder bebê e fez até rifa para arrecadar fralda

Mulher que matou amiga grávida fingiu gestação após perder bebê e fez até rifa para arrecadar fralda

Sem contar a ninguém, ela decidiu seguir forjando a suposta gravidez. Segundo informações da polícia, a suspeita teria planejado o crime durante dois meses

Folha Vitória
Foto: Reprodução/ Record TV
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um caso de mentira, agressão e assassinato assustou moradores da Grande Florianópolis, em Santa Catarina. A professora Flávia Godinho Magra, foi assassinada a tijoladas pela amiga e teve o bebê retirado a força . A vítima, grávida de 36 semanas, foi enterrada no sábado (29) e a suspeita, Rozalba Grimm, foi presa junto com o marido. Em depoimento, a mulher confessou o crime e disse que queria ficar com o bebê.

A história começa quando as amigas ficam grávidas na mesma época, mas Rozalba teria perdido o bebê. Sem contar a ninguém, ela decidiu seguir forjando a suposta gravidez. Segundo informações da polícia, a suspeita teria planejado o crime durante dois meses.

Para dar início ao plano, Rozalba organizou um chá de fraldas falso e atraiu a amiga até um galpão deserto. No local, a jovem grávida foi atingida por um tijolo, e com a amiga desmaiada, Rozalba tirou o bebê da barriga da jovem com o auxílio de um estilete. 

Após a atrocidade, a suspeita foi até o hospital de Canelinha, em Santa Catarina levar o bebê. A Polícia Militar foi chamada até o hospital para atender a ocorrência de uma suposta agressão a um bebê recém-nascido, visto que a criança possuía cortes pelo corpo. 

No hospital, a própria Rozalba disse ter feito o parto na rua, e os machucados na criança seriam em decorrência de uma falha por parte dos bombeiros, que supostamente teriam a auxiliado na hora do parto.

O companheiro da suspeita diz não ter participação no crime, mas ambos serão indiciados por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e lesão corporal gravíssima. O bebê está no Hospital Infantil de Florianópolis e passa bem.

Repercussão nas redes

Nas redes sociais, a suspeita, Rozalda Grimm sempre demonstrou interesse pelo assunto gravidez. Imagens de sapatinhos de criança e barrigas fazem parte dos seus álbuns de fotos. A suposta mamãe teria organizado até um sorteio com o objetivo de arrecadar fraldas e demais mantimentos para o nascimento do bebê fictício.

Após repercussão do caso e o nome da então amiga de infância divulgado, o ódio e a revolta tomaram conta das redes sociais de Rozalba. Comentários ofensivos tem sido depositados aos montes nas postagens da suspeita, datadas de três dias atrás.

Uma postagem em específica gerou ainda mais revolta por parte dos usuários. Rozalda compartilhou uma postagem em que familiares e amigos da vítima, relatavam o sumiço da jovem. De xingamentos a ataques, as opiniões giram em torno de um mesmo viés: a revolta por tamanha atrocidade.

Últimas