O que se espera das marcas no “novo normal”

A pandemia do novo coronavírus tem demonstrado para consumidores e marcas que o que importava muito um tempo atrás pode não ter mais tanta importância

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Tudo mudou e nada voltará a ser o que era. O novo chegou, marcando a passagem do século XX para o XXI e trazendo mudanças significativas no comportamento do consumidor mundial, exigindo novos posicionamentos das marcas. O impacto desta quarentena é grande, o consumidor mudou e passou a exigir das empresas muitos outros atributos. O quinto P do marketing, ou seja, as pessoas (além de produto, preço, praça e promoção) tem determinado como nunca a relação de consumo na contemporaneidade.

Uma pesquisa da Kantar (Barômetro Global Covid-19), realizada em 30 mercados, inclusive com brasileiros de mais de 18 anos em março deste ano, mostra o que as pessoas esperam das marcas neste momento em que muitas delas foram forçadas a refletir sobre o tipo de comunicação que fazem e como têm agido.

De acordo com o levantamento, 25% dos brasileiros esperam que as marcas sejam exemplo e guiem a mudança e 21%, que sejam práticas e realistas e ajudem os consumidores no seu dia a dia. Há também 20% de pessoas que esperam que as marcas ataquem a crise e mostrem que ela pode ser enfrentada / vencida; 18% que almejam que as marcas usem seu conhecimento para explicar e informar e 11% que desejam que as marcas reduzam a ansiedade e entendam as preocupações dos consumidores. Por fim, 3% das pessoas esperam que elas sejam otimistas e pensem de forma não convencional.

Ainda estamos em um momento sensível e mensagens podem ser mal interpretadas, conteúdos podem gerar desserviços e peças consideradas criativas podem estimular o sentimento errado. No entanto é hora de investir de forma estratégica para conseguir crescer a longo prazo.

A comunicação que os consumidores esperam das marcas também foi objeto de estudo da mesma pesquisa: para 87% das pessoas, as marcas devem comunicar seus esforços para enfrentar a situação e sobre como podem ser úteis neste novo dia a dia; para 80% as empresas devem evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas, e para 78% deve-se reforçar os valores da marca, oferecendo uma perspectiva positiva e utilizando um tom tranquilizador.

Entender o momento, o que o consumidor espera das marcas e ressignificar sua comunicação é condição para as empresas manterem seus mercados e lembrança na mente das pessoas.

Mais do que nunca, quem não é visto não é lembrado, mas cabe às marcas entenderem muito bem como os consumidores querem vê-las a partir de agora.

Últimas