Folha Vitória Pescadores afirmam que foram abordados por homem armado no mar de Vitória

Pescadores afirmam que foram abordados por homem armado no mar de Vitória

O suspeito se identificou como policial ambiental e levou a canoa que os jovens utilizavam na pesca

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Na noite desta segunda-feira (28), dois jovens, de 25 e 23 anos, pescavam em uma canoa na região da Curva da Jurema, em Vitória, quando foram abordados por um homem que se identificou como policial ambiental. Segundo as vítimas, o rapaz teria atirado contra eles e levado a canoa com os objetos pessoais. 

De acordo com o relatado dos jovens, o suspeito teria alegado que eles estavam pescando em um local proibido. Mesmo acatando as ordens do homem, um dos pescadores foi agredido. "Ele veio alterado para cima da gente. Disse que estávamos sendo presos por estar pescando em área de reserva. Falamos que íamos recolher a rede de pesca e ir até areia para ele recolher o material e passarmos pelos procedimentos", contou. 

O suspeito ameaçou os jovens e pediu para que um deles ajoelhasse na ponta da canoa. Mas o motor da embarcação que o homem estava acabou ficando preso na rede. Assustado com a violência, o outro pescador pulou na água para se livrar do atirador. "Eu me joguei na água e fui nadando para a margem para tentar me salvar. Ele ficou tentando ligar o motor", disse. 

Depois que conseguiram chegar na areia da praia da Curva da Jurema, o suspeito rebocou a canoa que os jovens utilizavam para pescar. "Ele conseguiu tirar a rede do motor dele e veio atrás da gente. Ele ameaçou de novo e voltou para a água levando a canoa". 

Enquanto os pescadores contavam para a polícia a versão deles, o suspeito ligou para a Polícia Ambiental e deu uma versão diferente. O homem se identificou como funcionário de um instituto de preservação ambiental que havia rebocado uma canoa em um local irregular. Ele disse ainda que os pescadores teriam atirado contra ele. Os dois jovens negam.

As vítimas começaram a trabalhar como pescadores após perderem o emprego durante a pandemia. Agora precisam lidar com o prejuízo de terem a canoa levada.  

A Polícia Militar informou que o suspeito não foi localizado e os pescadores foram encaminhados para a 1ª Delegacia Regional de Vitória para prestarem esclarecimentos. 

*Com informações da repórter Rafaela Freitas, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas