Folha Vitória Primeiros testes de caso suspeito da variante indiana no ES foram negativos

Primeiros testes de caso suspeito da variante indiana no ES foram negativos

Pacientes seguem em isolamento domiciliar até que seja concluída a investigação, com a realização de novos exames

Folha Vitória
Foto: Agência Brasil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Os primeiros testes do caso suspeito de infecção pela variante indiana da covid-19 de um paciente no Espírito Santo foram negativos. De acordo com secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, logo após ser notificado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Estado deu início às investigações.

O secretário afirmou que o paciente e as pessoas que tiveram contato com ele ´passaram por exames e todos deram negativo. No entanto, eles seguem em isolamento domiciliar até que seja concluída a investigação, com a realização de novos testes.

"Saiu o resultado do paciente, que foi passageiro. Já são dois resultados negativos. Quem teve contato com ele também testou negativo. A probabilidade de infecção com a cepa indiana é muito baixa. Mas é preciso alertar a população que independente da circulação da nova variante, na ausência de 70% da população vacinada, as cepas que já circulam aqui são capazes de produzir uma nova onda, incrementando aumento no numero de casos, internações e óbitos", destacou o secretário.

A notificação da Anvisa ao Espírito Santo sobre a circulação em território capixaba de um cidadão indiano que viajou no mesmo voo que uma pessoa que havia testado positivo para a variante indiana do novo coronavírus, ocorreu no último domingo (23). Com isso, o Estado planeja ampliar a testagem de antígeno em terminais rodoviários urbanos para barrar a entrada de novas cepas da covid-19.

"Vamos avançar nos terminais rodoviários urbanos, oferecendo a testagem de antígeno nos locais de ampla circulação de pessoas. Entendemos que será uma importante medida para retirar de circulação e interação qualquer pessoa que tenha muitos ou poucos sintomas para investigar. O Estado incrementa a investigação nos territórios que ele tem a responsabilidade de fazer", afirmou o secretário, que ainda explicou que a realização de vigilância em portos e aeroportos é de responsabilidade da Anvisa.

Segundo o secretário, é importante reforçar o controle sanitário e a contínua adoção de medidas sanitárias para evitar a disseminação. Para ele, qualquer falha nessas medidas pode favorecer a ampla infecção com as novas variantes.

Últimas