Folha Vitória Quase duas semanas depois de desocupação, trabalhadores voltam ao Mercado de Peixes da Vila Rubim

Quase duas semanas depois de desocupação, trabalhadores voltam ao Mercado de Peixes da Vila Rubim

Segundo a prefeitura de Vitória, durante a tarde desta quarta-feira eles retornaram ao local para lavá-lo e prepará-lo para abrir os boxes ao público nesta quinta

Foto: Reprodução/ Defensoria Pública do Espírito Santo
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Quase duas semanas após desocuparem o Mercado de Peixes da Vila Rubim, em Vitória, os peixeiros voltaram ao local nesta quarta-feira (23). No entanto, as atividades só serão retomadas no comércio na quinta-feira (24).

Os trabalhadores deixaram o imóvel, no último dia 11, para que fosse feito o escoramento da estrutura. De acordo com a prefeitura de Vitória, durante a tarde desta quarta eles retornaram ao local para lavá-lo e prepará-lo para abrir os boxes ao público nesta quinta.

Já os moradores dos andares superiores seguem fora do imóvel por tempo indeterminado. Eles tiveram de deixar o local, no início deste mês, por determinação da Justiça, que, em novembro do ano passado, acatou uma ação movida pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES).

Segundo a prefeitura, os dois andares que ficam em cima da peixaria foram ocupados de forma irregular por moradores e comerciantes. Além disso, com o tempo, a estrutura apresentou problemas e, por isso, foi preciso desocupar e reformar todo o espaço.

LEIA TAMBÉM:
>> Mercado de Peixes da Vila Rubim tem risco de desabar? Entenda o impasse entre prefeitura e MPES
>> MPES recomenda interdição do Mercado de Peixes da Vila Rubim por risco de incêndio e desabamento

Na época da decisão judicial, o laudo feito pela Defesa Civil Estadual apontou que o imóvel tinha risco de incêndio e desabamento. O ponto de venda de pescados funciona há mais de 50 anos no mesmo edifício.

Laudos da prefeitura de Vitória e da Defesa Civil Estadual divergiam sobre riscos na estrutura. Enquanto a perícia técnica estadual apontou que ela pode desabar a qualquer momento, o estudo feito pela equipe multidisciplinar da prefeitura de Vitória descartou essa possibilidade.

Últimas