Folha Vitória São Paulo e Portugal sediam concurso internacional de azeites extravirgens

São Paulo e Portugal sediam concurso internacional de azeites extravirgens

Concurso que irá escolher os melhores azeites extravirgem do Brasil acontece hoje, dia 8 de agosto, no restaurante Kinoshita, e na Quinta da Pacheca, no Douro.

Foto: Divulgação/DINO

O restaurante Kinoshita, na Vila Nova Conceição é novamente cenário do BRAZIL iOOC - primeiro Concurso Internacional de Azeites extravirgem do Brasil, marcado para hoje, 08 de agosto, reunindo os melhores provadores de 3 continentes, que irão escolher os melhores azeites de 2022 dessa categoria. A competição vem sendo realizada desde agosto de 2019, simultaneamente em São Paulo e no Douro, na Quinta da Pacheca, estabelecimento na região, em Portugal.

Nestes últimos 3 anos alguns dos melhores azeites do mundo estiveram nos Top Ten da Competição BRAZIL iOOC, que reúne companhias de azeite do mundo inteiro. Na edição de 2021 concorreram azeites de quatro continentes, jurados de três continentes, mais de 100 amostras, e 36 marcas brasileiras inscritas. O Brasil é, atualmente, o segundo maior importador de azeites do mundo, o que justifica a escolha do país para sediar este concurso.

A missão da BRAZIL iOOC, além de difundir o azeite, é trazer qualidade e visibilidade ao mercado gastronômico brasileiro, contribuindo para influenciar opinião e formar conhecimento de produtores, distribuidores, comerciantes locais e estrangeiros, restaurantes, chefes e consumidores em geral, além do fortalecimento do setor agrícola focado na olivicultura no mundo.

Presença brasileira cresce e se destaca no mapa mundial da Olivicultura

O cultivo de azeitonas vem crescendo no Brasil. Em 2019, a safra atingiu o volume recorde de 1,4 milhão de toneladas, enquanto a produção de azeite foi de 240 toneladas, conforme dados do Instituto Brasileiro da Olivicultura. Já em 2020, a safra de azeitonas no país sofreu com as intempéries do clima e a produção de azeitonas ficou quase 60% menor em relação à safra passada.

Atualmente são aproximadamente 100 marcas de azeite extravirgem produzidos no Brasil e muitos prêmios em competições internacionais. Na última década, a olivicultura cresceu expressivamente no país, sobretudo no Rio Grande do Sul e na região da Serra da Mantiqueira, além do cultivo em Santa Catarina, Espírito Santo e Rio de Janeiro, segundo dados da Ibraoliva.

O olivoturismo, por sua vez, vem ganhando cada vez mais espaço no setor, estando presente em vários empreendimentos, sobretudo na Serra da Mantiqueira, São Paulo (região de Campos de Jordão) e no Rio Grande do Sul.

Seguindo os passos da vinicultura e do turismo fomentado pelas rotas dos vinhos, o olivoturismo ainda é tímido no Brasil, mas começa a ganhar fôlego e se expandir pelas regiões produtoras. Essa tradição de vinho e azeite tem legados e histórias que agora ganham forma, integrando rotas turísticas nas regiões produtoras do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, principais estados produtores de azeite no Brasil. No Rio Grande do Sul, por exemplo, foi instituída por lei, em 2019, a Rota das Oliveiras, que compreende 24 municípios responsáveis por 32 marcas de azeite.

Últimas