Folha Vitória Violência: 85 adolescentes foram vítimas de homicídios dolosos no Espírito Santo este ano

Violência: 85 adolescentes foram vítimas de homicídios dolosos no Espírito Santo este ano

Na tentativa de combater a violência, projetos sociais levam a cultura, o esporte e a educação para crianças e adolescentes que vivem em bairros de vulnerabilidade

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Dezenas de famílias de jovens enfrentam o luto por causa da onda de violência no Espírito Santo. Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), 85 adolescentes foram vítimas de homicídios dolosos, quando há intenção de matar, este ano no Espírito Santo.

Para tentar driblar a violência, projetos sociais buscam introduzir a cultura, o esporte e a educação na rotina de crianças e adolescentes e, assim, evitar o contato com a criminalidade.

LEIA TAMBÉM: Jovens transformam realidade por meio da poesia e dão voz às comunidades em Vila Velha

Em uma associação sem fins lucrativos que funciona no bairro Cruzeiro do Sul, em Cariacica, os jovens que moram em bairros de vulnerabilidade têm aulas de música, dança, basquete e outras atividades educativas.

Para coordenadora do projeto Reame, Jaqueline Wandekoken, as atividades ajudam as crianças e adolescentes a ficarem longe do tráfico de drogas.

"Atualmente, o Reame atende 84 crianças com uma estrutura física que daria para atender muito mais, porém devido a recursos financeiras, temos apenas três educadores", disse. 

O diretor da associação, Geraldo Shafir, lembra que, apesar dos esforços de pessoas como a Jaqueline para evitar o contato dos jovens com o crime, nem sempre é possível, mas é importante não perder a força de vontade. 

"Eu tiro a criança da rua enquanto a mãe e o pai estão trabalhando. A criança não está exposta. Uma vez que a mãe sai e deixa a criança em casa, ela pode sair para rua e acabar sendo aliciada pelo tráfico", disse.

Nesta semana, o secretário Estadual de Segurança Pública, Alexandre Ramalho, disse que um dos problemas mais graves enfrentados pelas forças de segurança é o recrutamento de jovens para o crime organizado. O resultado se transforma em números. Somente neste ano, segundo a Sesp, 85 adolescentes foram vítimas de homicídio doloso.

LEIA TAMBÉM: "Temos uma criminalidade juvenil utilizada pelo grande traficante que não fica presa", diz Ramalho

Dados do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) revelam que, atualmente, mais de 500 adolescentes estão internados nas unidades do Espírito Santo. A maioria por atos infracionais análogos aos crimes de roubo e tráfico de drogas. Segundo ainda o Iases, a maioria é do sexo masculino e a média de idade é de 17 anos.

Quem atua diariamente nos setores sociais pede ajuda do poder público para que consigam salvar mais crianças e adolescentes do tráfico e, assim, evitar mais mortes.

"Tem que ter os funcionários fixos, que são os educadores, os assistências sociais. são pessoas que precisam estar presente de 8h às 18h. Isso trás uma necessidade econômica para que a gente supra esse valor", disse Geraldo.

*Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV.

Últimas