Folha Vitória Violência: mais de 100 mulheres foram assassinadas no Espírito Santo em 2020

Violência: mais de 100 mulheres foram assassinadas no Espírito Santo em 2020

A maioria dos casos estão relacionados ao tráfico de drogas, brigas e violência doméstica. Apesar do aumento da quantidade de mortes, em relação a 2019, foram registrados menos feminicídios no estado ao longo do ano passado

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Tristeza, angústia e medo são alguns dos sentimentos comuns entre as famílias de mulheres assassinadas. Em 2020, os casos aumentam no Espírito Santo, em comparação com o ano anterior. Foram mais de 100 mulheres mortas no estado. 

A família de Solange Almeida faz parte desta triste estatística. O corpo da filha dela, Vivian Lima de Almeida, foi encontrado pelos familiares, em agosto de 2020, debaixo do tapete da casa em que ela morava com o filho, no bairro Araçás, em Vila Velha. "Não estou acreditando que ela morreu. Parece que eu fico vendo ela chegar no portão e falar: 'mãe cheguei'", desabafou a mãe. 

Na ocasião do crime, a família desconfiou que o marido da vítima tinha envolvimento com o assassinato. Câmeras de videomonitoramento da região ajudaram a polícia nas investigações. Nas imagens, foi possível ver o momento em que o rapaz entrou e saiu do local, próximo à hora do crime.

Quando o rapaz foi intimado a prestar depoimento, a polícia cumpriu um mandado de prisão. O suspeito foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana. O companheiro de Vivian chegou a ficar preso, mas acabou sendo liberado pela Justiça. Após passar um período em liberdade, o rapaz voltou para o presídio.

Dados preocupantes

Os dados de assassinatos de mulheres no Espírito Santo preocupam. No ano passado, 101 mulheres morreram vítimas da violência no Espírito Santo. Já em 2019, foram 89. 

Os meses com maior número de mortes de mulheres foi março, com 14 assassinatos registrados. Os meses de novembro e dezembro registram dez casos e, em janeiro, fevereiro e junho, foram mais nove mortes. 

A região metropolitana concentra o maior número de mulheres assassinadas: cerca de 46% dos casos registrados no estado. Apesar do número, segundo a delegada titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher, Raffaella Aguiar, o Estado teve redução no número de casos de feminicídios. 

"A gente observou que, na Grande Vitória, no ano passado, a gente teve um homicídio a mais que em 2019. Entretanto, houve uma redução de 55% no número de feminicídios. O ideal seria não termos nenhum caso, mas a redução é significativa", ressaltou. 

A delegada explica que nem todos os casos são de feminicídios. "A maior parte dos crimes de mulheres que foram mortas em 2020 tem ligação com o tráfico de drogas e brigas, não necessariamente por questões de gênero", destacou. 

*Com informações do repórter Douglas Camargo, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas