Folha Vitória Volta às aulas: oftalmologista alerta para importância de novos exames pós-isolamento

Volta às aulas: oftalmologista alerta para importância de novos exames pós-isolamento

Segundo dados da OMS, diagnóstico de miopia deve atingir metade da população mundial até 2050

Folha Vitória
Foto: Pixabay
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Com o início da vacinação contra a Covid-19, as aulas presenciais nas escolas começam a ser retomadas em todo o país. Pesquisas mostram que, durante o período de isolamento por conta da pandemia, o número de casos de miopia entre crianças de 6 a 13 anos em alguns países aumentou 400%. E no Brasil, a situação não é diferente.

Tendo isto em vista, vale ressaltar a importância dos pais realizarem um check-up oftalmológico nos filhos antes do reinício das aulas. Durante o isolamento, quando ficaram boa parte do tempo reclusas em casa, a maioria das crianças usou e abusou de celulares, tablets e computadores para assistir desenhos e brincar com jogos eletrônicos. Foi estimulada, assim, a visão para perto por conta da proximidade com as telas, prejudicando a visão para longe, fator que ocasiona a miopia.

“No ambiente de sala de aula, onde as crianças devem exercitar a visão para longe para enxergar o quadro negro, um diagnóstico de miopia adquirido durante o isolamento pode se agravar”, alerta a oftalmologista Liliana Nóbrega.

Para a Sociedade Brasileira de Lentes de Contato (Soblec) apesar de ainda não haver uma epidemia declarada da doença no Brasil, como em outros países, os números da miopia já são alarmantes: mais de 57 milhões de pessoas possuem o distúrbio e correm o risco de degeneração macular miópica, retinosquise, glaucoma, descolamento de retina, catarata e outras doenças oculares. E esse número tende a piorar. 

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde – OMS, a doença deve atingir metade da população mundial (cerca de 5 bilhões de pessoas) em até 30 anos, até 2050. De acordo com a oftalmologista, o desenvolvimento ocorre, principalmente, durante a infância e adolescência e tem aumentado em um ritmo alarmante neste século. 

“Nossas crianças passam cada vez mais tempo na frente das telas, o que tem feito com que a visão se desenvolva com deficiências, podendo dobrar o grau daqueles que já possuem predisposição para a miopia ou ocasionar no seu surgimento em olhos saudáveis”, explica a especialista.

A oftalmologista ainda acrescenta que em países onde a tecnologia já está inserida na rotina há mais tempo, como no continente asiático, a incidência da miopia chega a 90% das pessoas. “Mais do que em anos anteriores, agora, nesse período pós-isolamento, fazer um check-up oftalmológico nas crianças e adolescentes tornou-se imprescindível”, finalizou.

Últimas