Gazeta Digital Casal que matou por relacionamento extraconjugal é preso

Casal que matou por relacionamento extraconjugal é preso

viatura policia civil

viatura policia civil

Gazeta Digital

Duas pessoas envolvidas em um homicídio ocorrido no ano de 2014 em Cuiabá foram presas pela Polícia Judiciária Civil (PJC), na tarde de quarta-feira (21), no município de Jaciara (144 km ao sul da capital), em cumprimento a dois mandados de prisão.

Leia também - Trio tenta alugar carros com documentos falsos e são presos

Antônio Marcos Vieira Gomes e Laura Benedita de Oliveira tiveram as ordens judiciais de prisão temporária decretadas pela Justiça. Eles foram identificados como os mandantes do homicídio praticado no dia 27 de abril de 2014, no bairro Nova Esperança, contra Marcio Antônio das Neves, 31 anos.

O casal foi descoberto em investigações do Núcleo de Inteligência da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) de Cuiabá.  

A motivação do crime está relacionada ao fato de Laura Benedita (casada com Antônio Marcos Vieira Gomes) estar mantendo relacionamento extraconjugal com a vítima (Marcio Antônio das Neves). Com base nos indícios colhidos, a Polícia Civil representou pelas prisões dos mandantes.

Ambos eram procurados desde 2014, quando tiveram decretadas as prisões temporárias. No entanto, após um minucioso trabalho do NI da DHPP foi possível levantar o paradeiro do casal.

As informações obtidas foram repassadas para Delegacia de Polícia de Jaciara, região a qual os dois foragidos poderiam estar. Após diligências realizadas pelos policiais civis da cidade, Laura e Antônio foram localizados no bairro Santo Antônio, na residência do casal. Eles estavam morando na cidade desde o dia o 1 de maio de 2014.

Os presos foram encaminhados à Delegacia de Polícia e interrogados pelo delegado de Jaciara, João Paulo Praisner. Os dois negaram que teriam mandado matar a vítima.

As investigações continuam com objetivo de identificar os executores do crime.

O inquérito policial será encaminhado para o Poder Judiciário, com cópia para o Ministério Público, para análise do pedido da conversão da prisão temporária em prisão preventiva dos acusados. 

(Com informações da assessoria de imprensa)