Economia Arquiteta larga emprego para criar site de casamentos e faturar R$ 1 milhão por ano

Arquiteta larga emprego para criar site de casamentos e faturar R$ 1 milhão por ano

Fundadora do site Casar Casar, Tatiana Goldstein espera ter 70 mil usuários até o fim de 2014 

Arquiteta larga emprego com marketing para organizar casamentos

Lançada em 2012, plataforma online promete facilitar a organização do casamento

Lançada em 2012, plataforma online promete facilitar a organização do casamento

Thinkstock

Quando resolveu se casar com o namorado argentino, há cinco anos, a paulista Tatiana Goldstein, 33, se deparou com um desafio incomum: reunir na cerimônia os amigos e familiares do casal espalhados pelo mundo.

Morando nos EUA, a arquiteta retornou ao Brasil e procurou na internet ajuda para organizar a festa. Mas o esforço foi em vão. Quando se viu sozinha e sem solução, Tatiana teve uma ideia: criar uma plataforma online para auxiliar noivos no planejamento do casório.

Assim nasceu o site — e negócio — Casar Casar, que oferece aos noivos, entre outros serviços, a opção de criar uma página personalizada do evento e uma lista virtual de presentes.

A empresa apresenta ainda diversas opções de fornecedores para cada uma das etapas do grande dia: foto e vídeo; buffet; música; aluguel de vestidos e joias; lembrancinhas; orquestra; decoração; convites; assessoria; etc.

A fundadora do site Casar Casar, Tatiana Goldstein: (má) experiência que deu certo

A fundadora do site Casar Casar, Tatiana Goldstein: (má) experiência que deu certo

Divulgação

— Logo após meu casamento, eu já comecei a montar o site do jeito que eu buscava, ou seja, com lista de convidados dividida por categorias, guia de presentes, organização de mesas, assistente de casamento, etc.

Com apenas dois funcionários (um programador e um ajudante), Tatiana conciliava o emprego na área de marketing com a criação do site.

Depois de um tempo, ela passou a se dedicar inteiramente ao projeto, que exigiu até agora um investimento total de R$ 3 milhões.

A empreitada, porém, não foi isenta de dificuldades.

— Era um sonho, eu não sabia se daria certo ou não. A maior barreira no início era convencer as pessoas de que um site de casamento é legal e pode ser útil.

Leia mais notícias de Economia

Apesar das dificuldades iniciais, no primeiro ano de vida, o Casar Casar recebeu 7.000 cadastros na Argentina, país onde estreou em 2012.

O resultado carimbou seu passaporte para o Brasil, onde desembarcou no fim do ano passado — e com grandes ambições.

Segundo Tatiana, a expectativa é de que, até o fim deste ano, o faturamento do site, que hoje conta com 12 funcionários e oferece serviços gratuitos e pagos (R$ 149 por ano), atinja R$ 1 milhão. 

O investimento inicial também deve ser totalmente recuperado em 2014, de acordo com a fundadora. O caminho das pedras? Repetir por aqui o desempenho obtido em terras “hermanas”.  

— No Brasil, há 1 milhão de casamentos por ano, sendo que, na Argentina, há apenas 100 mil. Já temos cerca de mil usuários e, se mantivermos a média que tivemos por lá, esperamos chegar a 70 mil usuários até o fim de 2014.

Veja as notícias do R7 na palma da mão. Assine o R7 Torpedo

    Access log