Banco é multado por perseguir funcionária, cobrar metas abusivas e não dar “bom dia”

Bancária, que mudou de posto 10 vezes em 2 anos,  irá receber indenização de R$ 10 mil

Banco é multado por perseguir funcionária, cobrar metas abusivas e não dar “bom dia”

Tribunal constatou que o banco passou dos limites

Tribunal constatou que o banco passou dos limites

Wikimedia Commons

Uma ex-funcionária vai receber indenização de R$ 10 mil do banco HSBC após processar a instituição por assédio moral. A mulher venceu o julgamento depois de alegar que era constantemente submetida a metas abusivas, cobranças exageradas, perseguição do superior e isolamento.

Segundo informações do TST (Tribunal Superior do Trabalho), a bancária relatou que sofria tratamento diferenciado por parte do chefe, que não lhe dirigia a palavra "nem com um ‘bom-dia'", isolando-a nas reuniões, escondendo informações necessárias para o bom desempenho das funções e a expondo publicamente com ameaças de demissão.

A ex-funcionária relatou ainda que chegou a ser demitida após um afastamento por motivo de doença, mas foi reintegrada ao emprego por ordem judicial. O retorno ao trabalho, segundo ela, foi "ainda mais penoso", porque além de ser submetida a metas e cobranças exageradas, passou a ser constantemente transferida — em dois anos, passou por oito agências.

Leia mais notícias de Economia e ajuste suas contas

O banco negou as acusações e afirmou que elas não refletem as relações de trabalho existentes nas dependências da instituição, que zela pelo bem-estar físico, moral e social de seus colaboradores.

A sentença, no entanto, foi favorável à trabalhadora. Após ouvir testemunhas, o tribunal constatou que o banco passou dos limites de seu poder disciplinar e ofendeu a dignidade da funcionária.

No julgamento mais recente, o TST negou o recurso do banco contra decisão, com o qual a instituição buscava reduzir o valor da indenização.

Ao recorrer ao Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR), o banco conseguiu reduzir o valor da condenação para R$ 10 mil. Não satisfeito, pediu nova reforma da decisão no Tribunal Superior do Trabalho com o objetivo de reduzir ainda mais o valor. No entanto, o relator do processo negou o recurso.

O HSBC Bank Brasil informa por meio da sua assessoria de comunicação, que não comenta casos que estão em discussão judicial. O banco afirma que busca cumprir rigorosamente todas as leis nos países onde está presente, bem como capacitar constantemente seus colaboradores para seguir os mais altos padrões globais de conduta e respeito aos colegas.

Seja bombardead@ de boas notícias. R7 Torpedos

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia