Cyrela evita prever lançamentos, não registra pico em distratos

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - A Cyrela vai esperar uma redução no patamar de incerteza gerada pela pandemia de coronavírus para estimar seu nível de lançamentos, vendas e de pagamento de dividendos em 2020, afirmaram executivos da companhia nesta sexta-feira.

A empresa divulgou na noite da véspera alta de 28,5% no lucro do quarto trimestre, apesar de queda na receita..

"Não vamos lançar nada do jeito que as coisas estão", disse o co-presidente da companhia Raphael Horn, em teleconferência com analistas do setor imobiliário nesta sexta-feira.

"Lançamento está fora do radar, vamos esperar os eventos, não tem muita coisa que a gente possa fazer", disse o executivo. "Mas estamos com situação muito confortável (de caixa) para aguentar qualquer crise, em qualquer circunstância", acrescentou.

"Do ponto de vista operacional, lançamento, venda e dividendo, quanto mais se fala, a chance de errar é maior. Daqui dois, três, quatro meses, o panorama será mais claro", disse Horn.

Em 2019, a Cyrela elevou os lançamentos em quase 35%, a 6,8 bilhões e reais. As vendas da empresa subiram 30,1%, para 6,57 bilhões. O caixa da empresa terminou o ano em 1,7 bilhão de reais.

Questionado sobre o nível recente de cancelamentos de contratos de venda, o vice-presidente financeiro da Cyrela, Miguel Mickelberg, afirmou que a empresa não detectou ainda um aumento significativo neste indicador, "mas se o impacto for de curto prazo, não deveremos ter problema não".

As ações da Cyrela exibiam alta de 9,5% às 12h35, em meio a um Ibovespa majoritariamente positivo após fortes quedas recentes disparadas pelo pânico dos investidores sobre os impactos da pandemia de coronavírus no país.