Dólar fecha em queda, renova mínima em 6 semanas e vale R$ 4,06

Leve baixa de 0,13% da moeda norte-americana foi suficiente para renovar a mínima para um fechamento desde 5 de novembro

Dólar oscilou entre R$ 4,04 e R$ 4,07 na sessão

Dólar oscilou entre R$ 4,04 e R$ 4,07 na sessão

Gary Cameron/Reuters

O dólar fechou em leve baixa de 0,13% ante o real nesta quarta-feira (18), cotado a R$ 4,06. A movimentação foi suficiente para cravar uma nova mínima para um encerramento desde 5 de novembro (R$ 3,993), num dia de clima relativamente benigno no exterior.

No piso do dia, a cotação desceu a R$ 4,0472 na venda, em baixa de 0,45%. Na máxima, alcançada logo depois da abertura, o dólar foi a R$ 4,0774, alta de 0,3%.

A valorização do real ocorreu num dia positivo para outras divisas emergentes, como peso chileno, rand sul-africano, peso colombiano e dólar canadense.

Em Wall Street, os índices de ações caminhavam para novos recordes. O risco-Brasil caiu a uma nova mínima em nove anos, e uma medida de incerteza para a taxa de câmbio brasileira renovou o menor patamar desde 2014.

Dezembro tem sido um mês positivo para ativos de risco no mundo, e os mercados brasileiros têm captado o bom humor, depois de Estados Unidos e China chegarem a um acordo comercial inicial, o que fortaleceu expectativas de que a economia global possa se estabilizar.

No cenário mais positivo para o fim de 2020, o BTG Pactual projeta que o dólar ficará em R$ 3,80, queda de 6,4% ante o patamar atual. No cenário-base do banco, a expectativa é que a moeda suba a R$ 4,10. Essa é exatamente a previsão contida na pesquisa Focus do Banco Central.