EUA e China devem realizar encontros semestrais para discutir relações comerciais

Os Estados Unidos e a China concordaram em realizar negociações semestrais para discutir possíveis reformas nas relações comerciais e resolver disputas. Esse formato foi utilizado em administrações anteriores, mas havia sido descartada pelas autoridades comerciais do governo Trump.

O esforço será liderado pelo secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, e, provavelmente, pelo vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, segundo uma autoridade do governo dos EUA e outras fontes a par do assunto. A iniciativa deve ser anunciada na próxima quarta-feira (15), como parte da fase 1 do acordo comercial entre os dois países, que incluirá ainda compras chinesas de bens americanos e algumas reformas no sistema econômico da China. É o primeiro avanço importante na guerra comercial que se estabeleceu nos últimos anos.

As conversas semestrais não devem envolver a fase 2 das negociações, que devem cobrir práticas chinesas consideradas chave, como subsídios corporativos e as atividades de empresas estatais chinesas. O presidente Trump disse recentemente que essas negociações não podem ser concluídas até depois da eleição presidencial, em novembro.

O esforço tem como objetivo discutir questões entre as duas nações e representará uma maneira de as autoridades de todos os níveis dos dois governos se encontrarem e desenvolverem relacionamentos mais profundos. As negociações comerciais tiveram um elenco limitado de participantes de ambos os governos. "É um processo totalmente diferente" das negociações comerciais, disse um funcionário do governo. Fonte: Dow Jones Newswires.