IGP-M desacelera alta a 0,48% em janeiro com arrefecimento de carnes, diz FGV

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) iniciou o ano com alta de 0,48% em janeiro, desacelerando sobre o avanço de 2,09% em dezembro devido ao arrefecimento dos preços tanto no atacado quanto no varejo.

O resultado informado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira ficou abaixo do esperado em pesquisa da Reuters com economistas, de alta de 0,54%.

A FGV informou que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, desacelerou a alta a 0,50% em janeiro, ante 2,84% em dezembro.

O movimento teve como destaque o grupo Matérias Primas Brutas, que deixou para trás alta de 5,03% para subir 0,26% em janeiro, sentindo o impacto da queda de 5,83% dos preços dos bovinos após avanço de 19,57% em dezembro.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% sobre o índice geral, avançou 0,52% no período, após alta de 0,84% no mês anterior.

A desaceleração no avanço dos preços de Alimentação, de 2,36% para 1,22%, foi o principal motivo para o arrefecimento do IPC, e foi marcada pela queda acentuada na taxa de variação das carnes bovinas, que subiram 1,95% em janeiro depois de dispararem 18,03% no mês anterior.

Já o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) subiu 0,26% em janeiro, após alta de 0,14% anteriormente.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.