Economia Novo modelo captura atenção 3,6 vezes mais que display tradicional

Novo modelo captura atenção 3,6 vezes mais que display tradicional

Segundo estudo liderado pela seedtag, modelo alcança tempo médio de visualização de 5 segundos, enquanto peças digitais padrão apenas 1

  • Economia | Do R7

Novo modelo alcança tempo médio de visualização de cinco segundos

Novo modelo alcança tempo médio de visualização de cinco segundos

Marcello Casal jr/Agência Brasil

Anúncios veiculados no formato In-Image, que insere peças gráficas ou animadas no interior de fotos e ilustrações online, capturam a atenção do público 3,6 vezes mais rápido do que a propaganda digital feita em displays tradicionais. É o que revela o estudo Efficiently Reaching Users Through Visual Media, produzido pela seedtag, plataforma líder de publicidade em Visual Media no Brasil, América Latina e Europa, em parceria com a MetrixLab, empresa global de pesquisa de mercado.

De acordo com o levantamento, a publicidade online posicionada dentro de imagens leva cerca de 1,3 segundos para ser notada, enquanto a convencional que, geralmente, aparece nas laterais da tela, demora cerca de 4,7 segundos. O modelo também alcança tempo médio de visualização de cinco segundos, enquanto peças digitais padrão apenas um. Além disso, o formato aumenta 3,9 vezes as intenções de compra, 2,1 o awareness, 3,7 a favorabilidade, 2,4 a lembrança das mensagens e ainda gera uma percepção de marca quatro vezes mais forte em comparação com os anúncios online comuns.       

“Quando acessamos uma determinada página, voltamos a nossa atenção para as imagens centrais do conteúdo. A publicidade In-Image se beneficia do fato de que já estávamos olhando para o local onde ela vai aparecer. No caso da seedtag, conseguimos utilizar essa vantagem unindo criatividade e tecnologia de ponta para entregar anúncios mais chamativos, menos invasivos e com maior poder tanto de atração, quanto de retenção”, explica Daniel Freixo, Country Manager da seedtag.

Segmentação

Outro fator que contribui com a eficiência de anúncios In-Image, ainda segundo o estudo, é a substituição do uso da segmentação comportamental pela contextual. Isso significa que a publicidade feita no formato não se baseia no rastreamento de acessos anteriores para ser apresentada, mas é sugerida a partir de palavras-chave, termos ou tópicos presentes nas páginas acessadas pelos usuários em tempo real. Deste modo, consegue ser muito mais zelosa em relação à privacidade de cada indivíduo, já que dispensa a utilização de dados ou cookies de terceiros, por exemplo.

Ao analisar o uso dessa alternativa isoladamente, a pesquisa verificou que 69% da base entrevistada concorda que os anúncios combinam mais com os conteúdos onde surgem, quando são veiculados por meio de segmentação contextual. O estudo também identificou que o recurso aumenta em 40% a simpatia pela marca, 40% a relevância, 25% o potencial de divertir e 18% a capacidade de convencimento dos anúncios, em comparação com a segmentação comportamental.

Análise

No que diz respeito à segmentação contextual, a seedtag dispõe do método mais avançado no mercado atualmente. Isso porque adota uma tecnologia proprietária chamada Cognitive Content Analysis (CCA). Com base em Machine Learning, a solução é capaz de direcionar publicidade a determinados conteúdos depois de avaliar se eles são positivos ou negativos para as marcas.

“Para executar essa funcionalidade, o CCA faz muito mais do que recorrer a palavras-chave, termos ou tópicos, por exemplo. Antes de decidir onde uma peça será inserida, a solução consegue considerar todo o contexto no qual fotos ou vídeos aparecem dentro de cada página na internet, a partir de um nível de compreensão quase humano. Consequentemente, gera um tipo de segmentação contextual ainda mais apurado e eficiente”, explica o executivo.

Liberdade criativa

Anúncios In-Image também podem proporcionar mais liberdade criativa para as agências e marcas, ao passo em que não precisam respeitar padrões pré-estabelecidos. Cada um deles, pode utilizar interações, vídeos ou animações de maneira totalmente livre, sem qualquer barreira além das próprias dimensões.

“Este aspecto é relevante porque as imagens tem ganhado um espaço cada vez maior na internet. E não é por acaso. Nosso cérebro processa imagens cerca de 60 mil vezes mais rápido do que faz com textos. Isso num espaço de 13 milissegundos. Tanto que 90% da informação transmitida para o cérebro é visual. Diante disso, quanto maior for a liberdade na hora de criar peças visualmente mais interessantes, melhores serão as chances para que uma campanha possa ganhar a atenção do usuário”, avalia Freixo.

Metodologia

Para chegar aos números que encontrou, a pesquisa da seedtag foi realizada em duas etapas. Na primeira, utilizou técnicas de eye-tracking para capturar o comportamento dos usuários em sites de diferentes tipos. Na segunda, comparou o desempenho obtido por campanhas veiculadas por meio de anúncios In-Image e displays tradicionais. Dessa forma, foi possível medir o efeito do posicionamento e do formato de cada tipo de propaganda tanto de maneira isolada, quanto de forma combinada.

Realizada na Europa em fevereiro de 2020, a pesquisa contou com mais de mil consumidores com idades entre 18 e 55 anos. Os participantes responderam a entrevistas online complementares com o objetivo de avaliar campanhas digitais que estiveram em funcionamento durante o primeiro trimestre deste ano em diferentes categorias, como bens de consumo, setor automotivo, entretenimento e tecnologia.

Últimas