Petrobras prevê excedente na produção de gás no futuro e oportunidade para exportação

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras avalia que haverá um excedente de gás natural a ser comercializado no futuro, que poderá até mesmo ser exportado, por meio de gás natural liquefeito (GNL), afirmou nesta sexta-feira o diretor-executivo de Relacionamento Institucional da petroleira, Roberto Ardenghy.

Anteriormente, a empresa já havia sinalizado perspectiva de forte crescimento da produção do gás no Brasil nos próximos anos, em particular entre 2023 e 2025, com a entrada de novos projetos no pré-sal da Bacia de Santos.

O país enfrenta atualmente desafios para a ampliação da infraestrutura de escoamento do gás de campos marítimos para o continente.

O governo tem um ambicioso programa para o segmento, que prevê abertura do setor para investimentos privados e saída completa da Petrobras da distribuição e do transporte do insumo.

"Haverá excedente de gás natural a ser comercializado", disse Ardenghy, ao participar de evento o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), no Rio de Janeiro, explicando que esse insumo poderá atender não só o mercado brasileiro, mas também o mercado internacional, eventualmente com o GNL.

None

(Por Marta Nogueira)