Economia Produção industrial cresce 4% e registra melhor maio em 7 anos

Produção industrial cresce 4% e registra melhor maio em 7 anos

Segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias foi fundamental para resultado

  • Economia | Do R7

Resultado de maio é o maior avanço mensal dos últimos 39 meses

Resultado de maio é o maior avanço mensal dos últimos 39 meses

Joshua Lott/13.06.2017/Reuters

A produção industrial brasileira aumentou 4% em maio em relação ao mesmo mês de 2016, o que representa o melhor resultado anual para o mês desde 2010. O resultado consta da PIM (Pesquisa Industrial Mensal), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira (4).

Em maio de 2010, a atividade industrial cresceu 14,3% em comparação com maio de 2009. Essa relação considera apenas os meses de maio: maio/2017 x maio/2016 x maio/2015 x maio/2014 e assim por diante.

Em outro recorte, considerando todos os meses do ano, o crescimento de 4% de maio significa o maior avanço nesse tipo de comparação desde fevereiro de 2014 — ou seja, o melhor resultado em 39 meses. 

Nesta comparação, coloca-se lado a lado o resultado do mês atual com o respectivo mês do ano anterior (maio/2017 x maio/2016, abril/2017 x abril/2016, março/2017 x março/2016 e assim por diante).

Dos 26 ramos de atividade, 18 registraram expansão no período. O instituto informou que o principal resultado positivo partiu do segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias, cujo crescimento foi de 27,9%. Houve aumento da produção de automóveis, caminhão-trator, veículos para transporte de mercadorias, caminhões e autopeças.

Também colaboraram para o resultado o segmento de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (alta de 25,9%), de máquinas e equipamentos (8,9%), de indústrias extrativas (2,8%), de metalurgia (6,1%), de produtos do fumo (40,6%), de artefatos de couro,artigos para viagem e calçados (14,2%), de confecção de artigos do vestuário e acessórios (11,1%), de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (13,2%) e de produtos têxteis (9,5%).

Na comparação entre maio com abril (mês imediatamente anterior), o resultado também foi positivo, uma vez que o setor cresceu 0,8%. De acordo com o IBGE, trata-se do segundo avanço consecutivo nesse tipo de comparação, o que fez o setor acumular ampliação da atividade de 1,9% — esse percentual anula a queda de 1,6% em março.

Por fim, na comparação entre o acumulado dos cinco primeiros meses de 2017 (janeiro a maio) com o mesmo período de 2016, o setor industrial acumulou acréscimo de 0,5%.

Últimas