Economia Turismo nacional cresce 47,5% em maio, aponta FecomercioSP

Turismo nacional cresce 47,5% em maio, aponta FecomercioSP

Faturamento do setor no mês somou R$ 9,6 bilhões, mas ainda acumula retração de 9,8% no acumulado de 2021

Agência Estado - Economia
Transporte aéreo é o mais afetado pela pandemia

Transporte aéreo é o mais afetado pela pandemia

Pixabay

O faturamento do turismo no Brasil em maio foi de R$ 9,6 bilhões, alta de 47,5% em comparação com igual mês de 2020, segundo levantamento da FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

Apesar da forte elevação, o setor acumula retração de 9,8% no cômputo do ano até aqui, o que representa uma queda de faturamento de R$ 5,1 bilhões.

Ao comparar maio deste ano com o mesmo mês de 2019 - antes da pandemia -, a queda na receita do setor, considerada a inflação, é de 31,2%, uma perda de R$ 4,3 bilhões.

Em maio, o transporte aquaviário foi o único que superou o nível pré-pandemia, com alta de 20% no faturamento em comparação com o mesmo mês de 2019. A FecomercioSP analisou seis grupos de atividades.

O transporte aéreo, por outro lado, segue como a área mais afetada, com perda de 50,5% do faturamento em relação a maio de 2019. A redução de demanda de passageiros foi de 43%, no mesmo período. Já os setores de restaurantes e alojamentos faturaram R$ 2,8 bilhões, 33,5% abaixo do valor de igual mês em 2019. O número é próximo ao do conjunto de atividades culturais, recreativas e esportivas, que teve queda de 33,8%.

O grupo que engloba atividades de veículos, agências e operadoras de turismo e outros serviços da área teve uma diminuição de receitas de 13,2% em maio com relação ao mesmo período de 2019. No setor de transporte terrestre, a queda foi de 6,6%.

"Ainda que o cenário seja desafiador, com um longo percurso até retomar os patamares pré-pandemia, a Federação acredita que iniciativas como a redução das restrições, a ampliação das ofertas dos serviços turísticos e a aceleração da vacinação em todo o País são fundamentais para uma melhora gradativa e mais consistente do setor daqui em diante", analisa a FecomercioSP, em nota.

Últimas