Eleições 2022 Desgaste no PSDB não prejudica 3ª via, diz presidente do Cidadania

Desgaste no PSDB não prejudica 3ª via, diz presidente do Cidadania

Roberto Freire disse que Doria teve ato de grandeza ao abandonar a pré-candidatura para abrir espaço para Simone Tebet, do MDB

  • Eleições 2022 | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire

Presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire

BBC BRASIL

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, afirmou que os problemas internos do PSDB para decidir o rumo do ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) não atrapalham a terceira via. Segundo ele, Doria teve um ato de grandeza ao retirar a pré-candidatura à Presidência da República. O anúncio do tucano foi feito nesta segunda-feira (23) após longas discussões na legenda.

O Cidadania está com o MDB e o PSDB no grupo de partidos que se coloca como alternativa à polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonasro (PL). O grupo também tinha antes o União Brasil, que desistiu por acreditar que o projeto era inviável. Freire defende que a indefinição, que se prolongou ao longo de quase todo o primeiro semestre deste ano, não prejudica ou desgasta a terceira via.

"Onde não teve imbróglio para decidir candidatura? Até na candidatura do Lula teve problema, com o Alckmin, e ainda é complicada a aliança com o PSB. Tem que ter processo de discussão, isso é normal. Eu diria a você que o PSDB tem suas contradições, mas continua unido. O exemplo é o Eduardo Leite, que parecia que ia sair do partido, mas voltou", disse ao R7.

Desistência de Doria

Em anúncio nesta segunda, Doria falou que desiste de sua pré-candidatura por entender não ser a escolha da cúpula do PSDB. Ele afirmou que se retira do pleito com o “coração ferido, mas com a alma leve”.

Para Freire, Doria teve um "gesto de grandeza que promove uma unidade bem possível da terceira via em torno da Simone Tebet". "Claro que [Simone] terá apoio dos três. Eu acho que o Doria deu sinal para isso. Ele não renunciou a candidatura no sentido de ter a unidade daquela outra candidatura que existia como possibilidade da terceira via", afirmou, referindo-se ao ex-governador do Rio Grande do Sul.

O presidente do Cidadania também comentou o assunto nas redes sociais. "Um gesto de grandeza de João Doria que só aumenta o respeito que por ele temos e só fortalece a unidade da chamada Terceira Via, em torno da candidata Simone Tebet. Todo respeito ao gesto e a pessoa de João Dória e a unidade que ele possibilitou é o nosso caminho. Simone Tebet para presidente", escreveu no Twitter.

A saída de Doria do jogo estimulou um grupo do PSDB que queria a candidatura de Leite à Presidência. Ele foi derrotado por Doria nas prévias, mas ainda era visto como um nome mais viável do que o ex-governador de SP. Parlamentares ligados a Leite se reúnem para discutir esse assunto ainda nesta segunda-feira (23).

A questão, no entanto, não tem apoio da cúpula e do partido de São Paulo. Como já mostrado pelo R7, o cenário paulista foi decisivo para a saída de Doria de cena. O PSDB quer o apoio da Prefeitura de São Paulo, comandada por Ricardo Nunes (MDB), para que o governador de SP, Rodrigo Garcia (PSDB), tenha sucesso nas eleições. A negociação entre os dois partidos girava em torno deste apoio em troca de Tebet na cabeça de chapa ao Palácio. O governo paulista é de grande importância aos tucanos, que comandam o Palácio dos Bandeirantes desde 1994.

O próprio presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, defendeu nesta segunda, após anúncio do Doria, candidatura única com o MDB e Cidadania, citando o nome de Tebet. "Temos um entendimento de diálogo com o MDB, vamos dar um passo agora. O nome de Simone é o nome posto nessa construção", afirmou.

Vice

Um nome para a vice ainda precisará ser definido, uma vez que Doria não quer compor como o segundo nome da chapa. O PSDB se reúne na próxima terça-feira (24), ocasião em que a questão deve ser discutida. Freire afirma que é preciso consolidar a candidatura de Tebet antes de discutir vice, mas nega que o nome tenha que ser obrigatoriamente do PSDB. "Temos tempo. Até porque não é momento de definir a vice-presidência. Quem sabe, podemos ter ainda surpresas na terceira via", disse.

Últimas