Estudo do Proam expõe vulnerabilidade hídrica em São Paulo

Os dados de um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam) apontam para níveis preocupantes de vulnerabilidade do quadro hídrico na Região Metropolitana de São Paulo. Trata-se de notícias nada alvissareiras para este domingo, 22 de março, data em que se comemora o Dia Mundial da Água e para a maior região metropolitana do País, com cerca de 22 milhões de habitantes.

O estudo, divulgado hoje pelo Proam, vem sendo realizado desde 2008. Foi atualizado agora em 2020 e disseca os processos históricos de insustentabilidade que vêm colocando em risco a vida atual e futura da metrópole de São Paulo.

O trabalho visa a analisar os determinantes ambientais, sociais e econômicos sob a perspectiva de eficiência e eficácia da governança, pública e privada, em busca de um cenário de sobrevida futura com qualidade.

"Diferentes quesitos, do cenário global ao modelo de gestão, apontam níveis preocupantes de vulnerabilidade, em uma visão transdisciplinar sobre os caminhos e descaminhos da água, as pressões setoriais e os erros e omissões que se consolidaram, ao longo do tempo, no atual cenário de insustentabilidade", afirma Carlos Bocuhy, presidente do Proam.