Internacional Ao menos 25 policiais ficam feridos durante manifestações contra presidente do Peru 

Ao menos 25 policiais ficam feridos durante manifestações contra presidente do Peru 

Protestos devido ao aumento dos preços dos combustíveis e dos alimentos causaram danos a prédios públicos, segundo o governo

AFP
Manifestante segura bandeira em frente a um cerco policial em Lima

Manifestante segura bandeira em frente a um cerco policial em Lima

Aldair Mejía/EFE - 05.04.2022

Cerca de 25 policiais peruanos ficaram feridos na última terça-feira (6) em confrontos com manifestantes que protestavam contra o presidente Pedro Castillo em Lima e causaram danos ao Palácio da Justiça e à sede nacional do Ministério Público, informou o governo.

"Cerca de 25 membros da Unidade de Serviços Especiais (USE) da Polícia Nacional do Peru (PNP) ficaram feridos pelos atos de violência cometidos por um grupo de pessoas durante as manifestações no centro de Lima", disse o ministério da Dentro de uma declaração.

Os distúrbios começaram à tarde, enquanto Castillo realizava uma reunião com líderes da oposição que controlam o Congresso e centenas de pessoas protestaram em torno do prédio legislativo e em outras partes de Lima.

Durante esta reunião, o presidente de esquerda anunciou o fim do toque de recolher diurno que havia decretado para terça-feira para conter os protestos contra o aumento dos preços dos combustíveis e alimentos.

Alguns manifestantes entraram em confronto com a polícia perto do Congresso, enquanto alguns deles "causaram danos às instalações do Ministério Público, Judiciário e estabelecimentos comerciais no centro de Lima", disse o ministério.

Além disso, no Palácio da Justiça, os manifestantes roubaram computadores e outros equipamentos, segundo a Polícia.

A polícia tentou impedir que o grupo se aproximassem de prédios públicos com policiais montados, mas seus cavalos foram apedrejados, mostraram imagens da televisão local. Além disso, eles causaram danos a um carro-patrulha, disse a polícia em sua conta no Twitter.

O fim do toque de recolher foi saudado com aplausos pelas centenas de manifestantes reunidos perto do Congresso e em outras partes de Lima, que sentiram que apertaram a mão de Castillo, observaram os jornalistas da AFP.

Últimas