Internacional Biden apoiará candidatos democratas ao Senado na Geórgia

Biden apoiará candidatos democratas ao Senado na Geórgia

Se os republicanos vencerem, manterão o comando do Senado, o que lhes permitirá frustrar muitas das metas legislativas ambiciosas de Biden

Reuters
Biden viaja para apoiar candidatos ao Senado

Biden viaja para apoiar candidatos ao Senado

Mike Segar/Reuters - 15.12.2020

Um dia depois de o Colégio Eleitoral dos Estados Unidos confirmar sua vitória presidencial, Joe Biden viajará à Geórgia nesta terça-feira (15) para fazer campanha para dois candidatos democratas ao Senado cujos segundos turnos em 5 de janeiro podem decidir sua pauta política doméstica.

O triunfo apertado de Biden no Estado do sul na eleição presidencial de novembro completou a transformação da Geórgia: o antigo bastião republicano hoje é um dos campos de batalha política mais competitivos do país.

Leia mais: EUA: Geórgia inicia votação que determinará o controle do Senado

Os senadores republicanos David Perdue e Kelly Loeffler enfrentam os democratas Jon Ossoff e Raphael Warnock, respectivamente, em duas corridas que determinarão qual partido controlará o Senado norte-americano quando Biden tomar posse no dia 20 de janeiro.

Se os republicanos vencerem qualquer disputa, manterão o comando do Senado, o que lhes permitirá frustrar muitas das metas legislativas ambiciosas de Biden em questões como o coronavírus, a economia e a mudança climática. Uma guinada democrata daria ao partido o controle da Casa Branca e do Congresso, já que o partido de Biden já controla a Câmara dos Deputados.

Trump apoiou candidato republicano

A viagem de Biden a Atlanta ocorre nove dias depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, viajar à Geórgia para apoiar Perdue e Loeffler. A visita do presidente eleito ainda coincide com o início da votação presencial, que começou na segunda-feira, quando centenas de moradores da Geórgia enfrentaram o clima chuvoso em filas.

Como no mês passado, espera-se que muitos eleitores votem pelo correio em meio à pandemia de coronavírus. Até agora, mais de 1,2 milhão de moradores solicitaram cédulas para votarem à distância, e mais de 260 mil já as enviaram, de acordo com o Projeto Eleições dos EUA da Universidade da Flórida.

A vitória de Biden aumentou as esperanças democratas de capturar os dois assentos, assim como iniciativas democratas agressivas de registro de eleitores.

Perdue ficou um pouco à frente de Ossoff em novembro, mas sem os 50% necessários para uma vitória.

A outra corrida teve diversos candidatos devido ao seu status de eleição especial -Loeffler foi indicada à sua vaga para preencher uma ausência. Warnock e Loeffler terminaram nas primeiras duas posições, mas ambos muito aquém dos 50%.

Os dois partidos já investiram centenas de milhões de dólares no Estado, assim como uma variedade de grupos políticos independentes, mas enfrentam desafios para garantir o comparecimento por causa da pandemia e da ausência do polarizador Trump para garantir votos – de apoiadores e detratores.

Últimas