Juíza manda João de Deus para casa para evitar contágio de covid-19

A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos autorizou que João Teixeira de Faria, conhecido como o médium João de Deus, deixe a prisão e migre para o regime domiciliar.

Segundo os termos da decisão, ele vai usar tornozeleira eletrônica, deve entregar o passaporte, está proibido de frequentar a Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, e de manter contato com vítimas e testemunhas. João de Deus tem 78 anos, e a decisão tem como objetivo evitar o contágio pelo coronavírus.

A magistrada é responsável pelas duas condenações do médium em razão de crimes sexuais contra pessoas que se submetiam a seus tratamentos na esperança de se curarem de doenças e na busca de assistência espiritual.

Em uma das sentenças, ele pegou 19 anos de prisão. Esse caso diz respeito à primeira denúncia recebida na comarca de Abadiânia, em janeiro de 2018, e envolve quatro vítimas, duas por violação sexual e duas por estupro de vulnerável.

Em outra, foi sentenciado a 40 anos por estupros, cometidos contra cinco mulheres durante atendimentos espirituais. João de Deus responde a 12 denúncias oferecidas pelo Ministério Público Estadual de Goiás.