Minas Gerais Defesa Civil monitora área alagada após barragem de água vazar

Defesa Civil monitora área alagada após barragem de água vazar

Prefeitura de Betim (MG) calcula em 55 o número de famílias atingidas pelo alagamento; nível da água voltou a baixar na região

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Equipes da Defesa Civil estadual e de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, estão monitorando a situação do bairro Duque de Caxias, atingido pelo vazamento de uma barragem de água de uma fazenda localizada na região. 

Cerca de 55 famílias precisaram ser retiradas de suas casas, que foram alagadas por um aumento repentino das águas do córrego Estiva depois do rompimento da represa. 

Moradores saíram de casa às pressas

Moradores saíram de casa às pressas

Reprodução/RecordTV Minas

De acordo com os técnicos, o nível da água baixou entre oito e 10 metros na manhã desta quinta-feira (18) depois que o coletor desentupiu. A prioridade, agora, é manter a vazão da água e impedir que a região volte a alagar. 

O plano da prefeitura era abrir um canal de alívio para escoamento da água, o que não será mais necessário, de acordo com o diretor de manutenção de obras públicas da Ecos (Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transporte e Trânsito de Betim), Wilton Leite.

- Hoje vamos fazer um caminho de serviço para chegar até a entrada do coletor para protegê-lo. Fora isso, está mantida a intervenção de proteção com matacões de pedra do barramento da avenida Adutora Vargem das Flores. As bombas estão mobilizadas, mas ainda não há necessidade de utilizá-las porque o coletor está funcionando

Famílias afetadas

A Secretaria Municipal de Assistência Social deve divulgar um novo balanço sobre as famílias que foram atingidas pelo alagamento. Até o momento, foram identificadas 55 famílias, de acordo com a Defesa Civil de Betim.

Elas foram orientadas a deixar suas casas, mas nem todas seguiram a recomendação. Até o momento, 25 famílias foram cadastradas para acompanhamento. Desse total, 13 seguiram para casas de parentes e outras quatro, para um abrigo provisório, montado pela prefeitura na Escola Municipal Maria Aracélia Alves, no bairro Itacolomi.

Últimas