Dois homens são condenados por morte de advogado em BH

Garotos de programa alegaram que queriam pagamento pelo encontro

Circuito de segurança mostra suspeitos no prédio da vítima
Circuito de segurança mostra suspeitos no prédio da vítima Divulgação / Polícia Civil de Minas Gerais

Os dois garotos de programa acusados de matar e roubar um advogado, no bairro Funcionários, na região centro-sul de Belo Horizonte, foram condenados a 20 anos de prisão. A vítima foi encontrada nua e com uma única perfuração na lateral do pescoço.

O caso aconteceu em fevereiro deste ano. De acordo com as investigações, Kendrick Alexsander Freitas Albernaz e Brendo Igor Ramos Izidoro renderam o advogado durante um encontro no apartamento dele. No dia, objetos pessoais e aparelhos eletrônicos foram roubados.

Leia mais notícias no Portal R7

Os três chegaram no prédio no final da noite do dia 19 de fevereiro. No meio da madrugada, os suspeitos deixaram o local e retornaram por volta das 5 h da manhã. Momentos depois, a dupla deixou o prédio, novamente, usando roupas da vítima.

De acordo com o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), a defesa de Izidoro pediu uma pena menor para ele alegando que o rapaz “queria o ressarcimento pelos serviços sexuais prestados, após um desentendimento sobre o valor acordado para o programa”. Izidora alegou ainda que “não estava no quarto no momento em que Albernaz imobilizou e matou a vítima e que eles não combinaram o crime.”

A defesa de Albernaz alegou que ele não pegou nenhum objeto da vítima e, por isso, deveria ter desclassificação do crime. Assim como Izidoro, Albenaz também ainda “que o crime foi praticado em legítima defesa, em função de desacordo no valor acertado para o programa”.

Na decisão, a juíza Marcela Maria Pereira Amaral Novais considerou que os suspeitos entraram em divergência nos depoimentos prestados durante as investigações.