Minas Gerais Homem que estava foragido da polícia há 10 anos é preso em BH

Homem que estava foragido da polícia há 10 anos é preso em BH

Com cinco mandados de prisão abertos desde 2009, homem é suspeito de matar a tiros vítima que estava pescando em uma lagoa no Barreiro, em BH

  • Minas Gerais | Mayara Folco, da RecordTV Minas

Delegado disse que homem se sentia "dono do bairro"

Delegado disse que homem se sentia "dono do bairro"

Reprodução/Record TV Minas

Um homem que estava foragido há mais de 10 anos foi preso nesta semana suspeito de matar uma pessoa que estava pescando em uma lagoa, na região do Barreiro, em Belo Horizonte. Além desse crime, que ocorreu no ano passado, ele já tinha outros cinco mandados de prisão em aberto, desde 2009 por roubo e extorsão.

 O homem de 35 anos é acusado de matar a tiros Thales Júnior Ribeiro, de 32 anos. Ele tem perfil agressivo e autoritário, de acordo com o delegado Alexandre Fonseca.

— Ele se dizia dono do bairro. Ele tinha muitas casas de aluguel e costumava oprimir os moradores. 

De acordo com a Polícia Civil, o assassinato aconteceu no dia 18 de abril do ano passado, cinco dias após um desentendimento entre vítima e autor. O homem que teria matado a vítima não gostou da presença de Thales em uma lagoa, na região do Barreiro.

— Foi um crime fútil ao quadrado, eu diria. A vítima estava pescando em uma lagoa que existe no bairro. O autor não gostou da presença da vítima e disse que a lagoa pertencia a ele, sendo que ela é pública. A vítima respondeu ao autor e, como ele tem fama de valentão no bairro, passou cinco dias e ele executou a vítima.

A prisão aconteceu na última semana, em uma rua do bairro Jardim Canadá, em Nova Lima. O suspeito apresentou documento falso.

— Ele foi abordado assim que saiu da sua casa. Foi pedido que ele se identificasse e ele apresentou uma CNH com nome diferente do que a equipe tinha e foi confirmado no sistema policial que a carteira era falsa

Registro falso

Para se manter escondido da polícia, o assassino chegou a registrar os próprios filhos no nome do irmão, o que configura outro crime.

A vítima já tinha passagens pela polícia por tráfico de drogas. O autor vai responder, ainda, por outros crimes, como homicídio qualificado e uso de documento falso.

Últimas