Minas Gerais Médicos do Hospital Infantil João Paulo II fazem paralisação em BH

Médicos do Hospital Infantil João Paulo II fazem paralisação em BH

Paralisação durará, a princípio, 24 horas; sindicato da categoria foi intimado para que atendimentos emergenciais sejam realizados

  • Minas Gerais | Arthur Santana*, da Record TV Minas e Maria Luiza Reis*, do R7

Casos de urgência e emergência serão atendidos

Casos de urgência e emergência serão atendidos

Reprodução/Google Street View

Médicos do Hospital Infantil João Paulo II, no bairro Santa Efigênia, região centro-sul de Belo Horizonte, iniciaram uma paralisação de 24 horas na manhã desta segunda-feira (28). 

O Sinmed-MG (Sindicato dos Médicos de Minas Gerais) foi intimado, ainda nesta manhã, pelo Desembargador Dr.Wilson Benevides, que determinou a garantia de funcionamento da unidade de saúde durante a paralisação.

Entre as exigências, o hospital deve promover 100% do atendimento emergencial e de urgência e 50% de todos os demais serviços prestados através do Sistema Estadual de Saúde. O descumprimento das medidas impostas pode acarretar em imposição de multa no valor de R$5.000,00 a hora. O Sinmed-MG informou que entrará com recurso da decisão. (confira a nota na íntegra no final da matéria)

Reivindicações

Segundo Cristiano Maciel, diretor do Sinmed-MG, os servidores pararam pela falta de profissionais e pela estrutura precária do prédio.

Durante a pandemia, o governo contratou alguns médicos devido à necessidade de atendimento, mas desde 31 de janeiro os contratos encerraram e não foram renovados. O adicional no salário dos médicos também foi retirado. Maciel afirma que os funcionários do hospital recebem menos do que outros servidores da rede Fhemig (Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais). Os profissionais também reivindicam melhorias na estrutura do prédio.

Assembleia

Na noite desta segunda (28), acontecerá uma nova assembleia, às 19h30, dos médicos e de outras unidades da Fhemig. Os funcionários da rede pretendem fazer paralisações escalonadas e aguardam uma posição do Governo para organizarem outras ações. 

Confira a nota da íntegra: 

"O SINMED-MG foi intimado a cumprir decisão proferida pelo Desembargador Dr.Wilson Benevides que determinou a garantia de funcionamento do HJPII durante a paralisação deliberada em Assembleia Geral Extraordinária para início às 7 horas do dia 28 de março e término às 7 horas do dia 29 de março de 2022.

Veja as determinações da decisão :
• 100% do atendimento emergencial e de urgência em todos os hospitais do Sistema Estadual de Saúde;
• 100% do atendimento exigido para a continuidade do tratamento dos pacientes já internados ou em tratamento ambulatorial nos hospitais do Sistema Estadual de Saúde;
• 100% do atendimento prestado nas Unidades de Terapia Intensiva, nos Centros de Tratamento Intensivo (CTI) e maternidades;
• 50% de todos os demais serviços prestados através do Sistema Estadual de Saúde;
• o integral preenchimento de todos os relatórios, documentos e livros de controle dos procedimentos clínicos a cargo dos servidores da FHEMIG filiados ao RÉU;
• não impeçam a prestação de serviços pelos servidores que, sob qualquer vínculo com a FHEMIG, trabalham no HIJPII;
• não obstruam vias públicas, tampouco invadam prédios públicos ou qualquer espaço específico nos prédios estaduais.

O descumprimento das medidas impostas importará em imposição de multa no valor de R$5.000,00 a hora.

Apesar de defendermos a legitimidade do movimento reivindicatório, o SINMED-MG orienta o retorno das atividades regulares por parte de todos os médicos do HIJPII. O departamento jurídico do Sinmed-MG destaca que entrará com recurso em face da decisão, mas que por ora, a determinação deve ser observada.

Hoje à noite, a partir de 19h30, haverá uma assembleia online dos médicos do HIJPII e de todos os demais vinculados ao estado para avaliar a questão e continuar a buscar estratégias para melhorar a situação dos hospitais e dos profissionais do estado."

*Estagiários sob supervisão de Ana Gomes

Últimas