Menina de 5 anos esfaqueada a caminho da creche é enterrada

Ieda seguia com a babá para a escola quando ambas foram surpreendidas por um homem que atacou a criança com golpes de faca no meio da rua

Velório de Ieda foi marcado por comoção entre familiares, amigos e moradores da cidade

Velório de Ieda foi marcado por comoção entre familiares, amigos e moradores da cidade

Reprodução/RecordTV Minas

Foi enterrado nesta quinta-feira (31) o corpo da menina de 5 anos que foi morta a facadas quando estava a caminho da escola em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. 

O enterro de Ieda Isabel Manoel Peres foi marcado por comoção entre familiares, amigos e mesmo desconhecidos, que foram até o cemitério municipal Parque Jardim da Cachoeira para prestar solidariedade. 

A criança seguia junto com a babá Brenda Souza de Andrade para a escola por volta das 6h30 da manhã desta quarta (30), quando ambas foram surpreendidas por Moabe Edon Pinto Souza, de 25 anos. Armado com uma faca, ele atravessou a rua em direção a elas e, pelas costas atingiu a criança. A babá segurou Ieda e tentou correr, mas as duas caíram poucos metros a frente, quando o homem conseguiu acertar outras duas facadas na menina. 

Vídeo mostra o momento em que criança é atacada por esfaqueador

Durante o velório, parentes das vítimas pediam justiça, caso de uma tia da criança, Marlene Peres.

— Meu irmão está desolado, a gente está sem palavras para dizer o que a gente está sentindo neste momento.

Funcionários do Centro Infantil Municipal Silvina Júlia de Carvalho se vestiram de preto e foram ao cemitério para se despedir da pequena aluno do seguno período. Uma das preocupações da diretora da escola, Alcione Ferreira, é com relação ao retorno dos coleguinhas de Ieda às aulas a partir da semana que vem. 

— Todos estão vendo isso, não tem o que explicar. É uma tragédia que ninguém da escola imaginou que iríamos passar. Não tem palavras em uma hora dessa.

Em nota, a Prefeitura de Betim que estão sendo planejadas ações de suporte psicossocial à rede de educação e a comunidade local.

Moabe foi preso em flagrante e indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e por não ter dado chance de defesa à vítima. Se condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. A família dele disse que ele sofre de esquizofrenia.