Minas Gerais Servidor é suspeito de cobrar R$ 70 mil para matar vereadores em MG

Servidor é suspeito de cobrar R$ 70 mil para matar vereadores em MG

Segundo a polícia, o objetivo do esquema seria "liberar" vaga nas Câmaras Municipais para que suplentes assumissem os cargos

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7, com Record TV Minas

Prisão aconteceu no interior de Minas Gerais

Prisão aconteceu no interior de Minas Gerais

Reprodução / Record TV Minas

O servidor público preso nesta quarta-feira (5) como suspeito de tentar matar um vereador de Água Boa, a 380 km de Belo Horizonte, teria cobrado até R$ 70 mil para assassinar parlamentares.

A informação foi confirmada pelo delegado Marcos Eduardo Valverde, responsável pelas investigações.

De acordo com o policial, a suspeita é que o "serviço" seria oferecido com o objetivo de liberar vagas para o cargo de parlamentar nas Câmaras Municipais.

— Ele [o suspeito] estaria procurando intermediários que faziam contatos com os suplementes na intenção de saber se estas pessoas tinham interesse em assumir a vaga de vereador.  A ideia era matar um dos atuais vereadores para que os supletentes assumissem as cadeiras.

Prisão

R. B. N. L. foi preso nesta manhã como suspeito de tentar matar o vereador Anaximandro Rodrigues da Silva (MDB), no último dia 24 de março. O delegado Marcos Valverde diz que o homem já era monitorado e que, agora, os investigadores trabalham para descobrir se houve um mandante para o crime.

— Sobre a autoria a gente não tem dúvidas. A questão a ser esclarecida é se houve mandante e quem ele é.

Segundo o boletim de ocorrência, R. B. N. L. teria preparado uma emboscada para atacar o vereador Anaximandro Rodrigues da Silva, mais conhecido como Marquim da Zica. O homem mostrou interesse em comprar um imóvel anunciado pelo parlamentar e marcou um encontro para avaliar o local. Chegando lá, ele teria agredido a vítima com golpes de bastão na cabeça.

Após luta corporal, a vítima teria retirado o bastão das mãos do agressor. O boletim de ocorrência indica que o suspeito teria se arrependido do crime após ver o sangue na cabeça da vítima, a levado para o hospital, onde o vereador manteve silêncio sobre o ocorrido por medo do suspeito que estava com ele. De acordo com o delegado responsável pelas investigações, o suspeito ainda teria subornado a vítima.

— O investigado, ao perceber que não conseguiria consumar o crime, passou a pedir dinheiro para o vereador para desistir de matá-lo

O suspeito foi levado para o sistema prisional, após ser detido em Santa Maria do Suaçuí, a 25 km da cidade onde ocorreu o crime. Segundo a polícia, ele já foi preso por outros delitos. A reportagem tenta contato com a defesa.

Últimas