Minas Gerais Tecnologia permite visita virtual por patrimônio histórico de Congonhas (MG)

Tecnologia permite visita virtual por patrimônio histórico de Congonhas (MG)

Cidade mineira é a primeira do país a ser contemplada com o recurso

Site leva internautas até pontos turísticos de Congonhas

Site leva internautas até pontos turísticos de Congonhas

Era Virtual/Divulgação

Uma viagem ao passado mineiro, à cultura barroca e às obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Agora, isso é possível por meio de um aplicativo de celular e um site que leva turistas do mundo inteiro até o reduto do maior escultor brasileiro, a cidade histórica de Congonhas, na região central de Minas Gerais.

A tecnologia faz parte do projeto Era Virtual – Cidades Patrimônio e foi lançada na última segunda-feira (17). Além da visita ao acervo religioso, artístico e arquitetônico da cidade, os usuários também terão à disposição áudios e textos educativos, com versão em cinco idiomas - incluindo Libras, além da obra de Lobo de Mesquita interpretada pelo Coral Cidade dos Profetas.

Leia mais notícias no R7 MG

Imagens revelam detalhes de pinturas e obras do acervo histórico

Imagens revelam detalhes de pinturas e obras do acervo histórico

Era Virtual/Divulgação

Segundo o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Cultura, Sérgio Rodrigo Reis, a iniciativa faz parte das comemorações em homenagem ao bicentenário de morte de Aleijadinho, celebrado no último dia 18 e representa a realização de um sonho antigo do município. 

— Este aplicativo traz informações da arquitetura religiosa, da arquitetura histórica, dos museus e também um audioguia completo da cidade com fotos, vídeos e uma trilha sonora de obras do período colonial. É um importante guia para os turistas e para os moradores da cidade.

Já no site, os internautas têm acesso ainda à visita virtual em 360ºC ao Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), e também a pontos turísticos que compõem o Circuito das Peregrinações.

— Essa visita é muito reveladora porque aponta detalhes das 64 imagens de Aleijadinho que as vezes não percebemos quando estamos aqui. Por exemplo, na Basílica do Senhor Bom Jesus, as paredes são todas decoradas quadro a quadro e eu, que moro em Congonhas e já visitei cada um desses lugaras centenas de vezes, não tinha ideia desses detalhes e da beleza dessas obras.

O conteúdo está disponível no site do projeto Era Virtual ou no aplicativo de mesmo nome já disponível para iOS e Androide. Além do acervo cultural de Congonhas, os internautas também podem conhecer pelo site a vários outros museus e exposições.

Aleijadinho

Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, nasceu em 1730 ou 1738, não se sabe ao certo, e era filho do arquiteto português Manoel Francisco Lisboa e com uma de suas escravas. Ele foi um dos mestres do barroco mineiro durante o período colonial, tendo obras esculpidas em Ouro Preto, Sabará e São João del-Rei, sendo a mais importante o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas. Ele morreu em 1814 acometido por uma lepra nervosa que deformou parte de seu corpo e o levou a amputar alguns membros.

Congonhas também é conhecida em Minas por suas quitandas típicas. Confira:

Últimas