Notícias Para liberar leitos, pacientes sem covid-19 vão para hospital em Ilhabela

Para liberar leitos, pacientes sem covid-19 vão para hospital em Ilhabela

Agência Estado

Um aumento de 36% nos casos de coronavírus nos últimos 30 dias em comparação com o período anterior levou a prefeitura de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, a adotar uma medida inusitada. Pacientes com traumas leves e outras doenças serão transferidos para um hospital de campanha, a fim de liberar vagas para pacientes com covid-19 na estrutura hospitalar convencional. Hospitais de campanha são estruturas temporárias para atender altas demandas em situação de emergência e calamidade pública, como a pandemia.

No caso de Ilhabela, o hospital de campanha está sendo montado no estacionamento do Hospital Mário Covas, que é municipal, para inverter essa situação. "Estamos prevendo uma demanda maior para casos da covid-19, por isso vamos liberar os 30 leitos do Mário Covas, sendo cinco de UTI, para esses pacientes. Aqueles com doenças não relacionadas ao coronavírus serão tratados no hospital de campanha", explicou o secretário municipal de Saúde, Gustavo Barboni de Freitas. A unidade, que fica pronta até o próximo dia 20, terá capacidade para 46 leitos, mas começa a funcionar com cerca de 20 leitos.

Conforme o secretário, o aumento nos casos de covid coincide com a alta temporada. No verão, a cidade chega a receber 120 mil visitantes, quase o triplo da população local, de 35 mil habitantes. No último dia 9, a cidade registrou 252 casos da doença, o maior número diário desde o início da pandemia.

O recorde anterior tinha acontecido no dia 31 de julho, quando 224 pessoas adoeceram. "Os casos de covid estão superando os atendimentos por doenças crônicas e outras situações, por isso optamos pelo hospital de campanha para esses casos, liberando a estrutura já consolidada para pacientes com coronavírus", disse. As emergências, como vítimas de acidentes de trânsito, afogamentos e quedas em cachoeiras continuam sendo atendidas pelo pronto-socorro do hospital municipal.

Conforme o secretário, o perfil de pacientes internados no setor respiratório mudou. "No início da pandemia, a maior parte dos pacientes graves tinha entre 69 e 80 anos de idade. Agora, temos muitos pacientes mais jovens, na faixa entre 25 e 35 anos. Tivemos uma criança de três anos e hoje temos um menino de 13", disse. No total, a cidade já registrou 2.673 casos positivos de covid-19, com 14 óbitos. Ilhabela tem 12 pacientes internados com a doença, sendo três em UTI. Outras 252 pessoas infectadas recebem acompanhamento domiciliar.

Últimas