COI destina 800 mi de dólares para enfrentar consequências da Covid-19

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional explicou que 650 milhões de dólares serão para aliviar os efeitos causados pelo adiamento para 2021 dos Jogos de Tóquio 2020

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional explicou que 650 milhões de dólares serão para aliviar os efeitos causados pelo adiamento para 2021 dos Jogos de Tóquio 2020

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional explicou que 650 milhões de dólares serão para aliviar os efeitos causados pelo adiamento para 2021 dos Jogos de Tóquio 2020

Folha de Pernambuco

O Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiu destinar 800 milhões de dólares (740 milhões de euros) para enfrentar as consequências da crise gerada no esporte pelo novo coronavírus, anunciou seu presidente Thomas Bach, nesta quinta-feira (14), em entrevista coletiva.

Bach, que falou em uma videoconferência no final de uma reunião do Comitê Executivo do COI, explicou que 650 milhões de dólares serão para aliviar os efeitos causados pelo adiamento para 2021 dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, enquanto que 150 milhões de dólares serão destinados ao Movimento olímpico, especialmente às federações internacionais, devido aos grandes danos causados pela paralisação forçada devido à pandemia de Covid-19.

Leia também:
Adiamento dos Jogos custará centenas de milhões de dólares ao COI, diz Bach
Jogos de Tóquio não poderão ser adiados novamente, dizem organizadores
COI define novas diretrizes de classificação para os Jogos de Tóquio

O novo coronavírus causou "graves consequências econômicas para as Olimpíadas, o movimento olímpico como um todo e o COI", disse Bach. Além disso, o COI aprovou as datas para sua próxima sessão, que ocorrerá no dia 17 de julho e de forma virtual pela primeira vez.

As Olimpíadas de Tóquio iriam ser disputadas neste ano de 24 de julho a 9 de agosto. Mas devido à pandemia, foram remarcadas para 23 de julho a 8 de agosto de 2021, na capital japonesa.