Folha de Pernambuco 'Ela não teve como se proteger', diz tio de menina morta por bala perdida no Cabo de Santo Agostinho

'Ela não teve como se proteger', diz tio de menina morta por bala perdida no Cabo de Santo Agostinho

Ellen Vitória Ferreira, de 10 anos, morreu por volta das 12h desse domingo (26), na comunidade da Charnequinha, no Cabo de Santo Agostinho

Ellen Vitória Ferreira, de 10 anos, morreu por volta das 12h desse domingo (26), na comunidade da Charnequinha, no Cabo de Santo Agostinho

Ellen Vitória Ferreira, de 10 anos, morreu por volta das 12h desse domingo (26), na comunidade da Charnequinha, no Cabo de Santo Agostinho

Folha de Pernambuco

Ellen Vitória Ferreira da Silva, 10, caminhava em direção ao carro do tio quando foi atingida por uma bala perdida; o projétil acertou a sua cabeça. O caso ocorreu por volta do meio-dia desse domingo (26), na comunidade da Vila do Sesi, na Charnequinha, no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife.

O tio de Ellen, Djalma Pereira, 58, estava indo colocar o carro, que estava na esquina de sua casa, dentro da garagem. Sua sobrinha o seguiu. Foi quando começou um tiroteio.

Djalma presenciou o momento em que a sobrinha foi baleada. “Eu estava indo colocar o carro na garagem e ela me acompanhou, de repente começaram os disparos e a bala pegou na cabeça dela. Ela não teve como se proteger. Nós só ouvimos a rajada de balas. Quando eu vi, ela já estava baleada”, declarou.

Leia também:
Criança morre vítima de bala perdida no Cabo de Santo Agostinho
Primeiro caso de sarampo do ano em PE é registrado em criança de um ano

O tio afirmou ainda que quis socorrer a criança, mas não teve tempo, pois ela já estava morta. “Começou a sair muita massa da cabeça dela e eu sabia que não tinha mais o que fazer”, disse.

Ellen era adotada e vivia com os tios. Eles moram na comunidade da Vila do Sesi, na Charnequinha, no Cabo de Santo Agostinho. Djalma Pereira afirmou que só neste mês é a quarta vez que acontecem confrontos armados na comunidade em que vivem.

“Está todo mundo muito abalado, ela era uma criança muito feliz e muito querida, mas infelizmente essa é a lei do Brasil, uma violência que nunca para”, afirmou Djalma, muito emocionado.

No local do crime, as equipes da Polícia Militar e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) encontraram vários fragmentos de munições diversas e marcas de tiros nas paredes e portões das casas da rua. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Caio Morais, da 14ªDPH, conduzirá a investigação e se pronunciará ao final do procedimento policial.

O velório de Ellen Vitória acontecerá nesta segunda no Cemitério Municipal do Cabo, onde acontecerá também o sepultamento, às 16h.

Últimas