Exposição 'Antes do Cio dos Gatos' entra em cartaz na Amparo 60

Mostra reúne obras de Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa,

Mostra reúne obras de Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa,

Mostra reúne obras de Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa,

Folha de Pernambuco

Fêmeas, subjetivas, com vozes distintas que se unem. Assim são as obras de Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa, artistas pernambucanas que inauguram, nesta quinta-feira (27), a mostra "Antes do Cio dos Gatos", na galeria Amparo 60.

Aos 90 anos, Tereza reafirma seu vigor e dialoga com a produção das duas jovens artistas. Ao todo, estarão expostas dez peças de Tereza (sendo sete inéditas e três de seu acervo pessoal), duas sobre papel de Clara e seis de Juliana.

Leia também:
Tereza Costa Rêgo comemora aniversário com exposição
Artista Juliana Lapa expressa o feminino em exposição
Cepe lança 'Obscuro fichário dos artistas mundanos', primeiro título de seu selo voltado para os quadrinhos
É a primeira vez que Tereza expõe na Amparo 60, conhecida por apresentar artistas de linguagem mais contemporânea. "Há muito tempo que cultivo o desejo de trazê-la para a galeria, e me comoveu a maneira como se conectou de forma imediata com Clara e Juliana, artistas de outra geração que já faziam parte de nosso casting. Foi orgânico, natural e inusitado. Tereza é a nossa primeira dama da pintura, e sempre está aberta ao novo", comenta a galerista Lúcia Santos. Uma série de imagens fotográficas registradas em meio à natureza mostram a ligação estabelecida entre as três, sem muita hierarquia e repleta de diálogos.

Detalhe de pintura de Tereza Costa Rêgo

Detalhe de pintura de Tereza Costa Rêgo

Folha de Pernambuco

Detalhe de pintura de Tereza Costa Rêgo - Crédito: Divulgação

Durante coletiva, à Folha de Pernambuco, Clara Moreira descreveu Tereza como "uma estrela guia para as mulheres artistas". "É uma honra estar expondo junto com ela. As mulheres são pouco vistas no segmento da arte, foram impedidas de trabalhar e de tratar certos temas ao longo da História. E Tereza quebrou padrões, aqui em Pernambuco", descreve. "A gente se encontra em um lugar político de dar um passo adiante. Na mostra, vejo nossos corpos dialogando, quebrando clichês de que estamos falando 'apenas' do universo feminino", complementa Juliana Lapa. "Antes do Cio dos Gatos" tem curadoria do jornalista e crítico Bruno Albertim, que vem preparando, em parceria com o renomado curador carioca Marcus Lontra, a exposição "Viva Tereza", que deverá entrar em cartaz em maio do ano que vem e celebrará, ao mesmo tempo, os 90 anos de vida e 70 de produção da artista, trazendo mais de cem obras.

'Noiva', de Tereza Costa Rêgo

'Noiva', de Tereza Costa Rêgo

Folha de Pernambuco

'Noiva', de Tereza Costa Rêgo - Crédito: Divulgação

Para Bruno, a amostra organizada na Amparo 60 é uma oportunidade para que o público entre em contato com as poéticas de cada uma das três, que são ao mesmo tempo distintas e convergentes. "A mulher, a fêmea, é sempre a protagonista em todas as peças da mostra, e todas são artistas que pintam com o corpo, trabalhando subjetividades não são só individuais, reescrevendo narrativas com a perspectiva da Fêmea, através de mitologias que vão além dos arquétipos", aponta Bruno Albertim.

Pássara alçando vôo, de Clara Moreira

Pássara alçando vôo, de Clara Moreira

Folha de Pernambuco

Pássara alçando vôo, de Clara Moreira - Crédito: Divulgação

Nos desenhos de Clara, mulheres pássaras buscam o movimento, a liberdade, o voo. Em Juliana, personagens remetem ao útero, à fecundidade, a um feminino vegetal e animal. Já nas telas de Tereza, as mulheres se desnudam em corpo e alma, auxiliadas pelo simbolismo de cores e animais.

Detalhe de desenho de Juliana Lapa

Detalhe de desenho de Juliana Lapa

Folha de Pernambuco

Detalhe de desenho de Juliana Lapa - Crédito: Divulgação

As três buscam a "mulher bicho", além das convenções cotidianas. As três apresentam uma nudez que não representa uma bandeira por si só, mas uma forma de se integrar à natureza e à própria história. São corpos sempre apresentados na iminência de algo, gatilhos que apontam para um devir. "Para mim, esse encontro desfaz mitos, como o de que pintura é silêncio. Elas trazem personagens que estão gestando o grito", avalia Bruno Albertim.
Serviço
Exposição "Antes do Cio dos Gatos", de Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa Abertura para convidados no dia 28 de novembro, a partir das 18h Visitação gratuita de 29 de novembro de 2019 a 25 de janeiro de 2020, de 3a a 6a feira, das 10h às 19h, e aos sábados, com agendamento prévio. Onde: Galeria Amparo 60 - rua Rua Artur Muniz, 82, primeiro andar - fone (81) 3033-6060