Grupo formado por cônsules quer promover economia pernambucana

Entidade será formalizada em breve para atuar na articulação de negócios entre Pernambuco e os 23 países integrantes do grupo

Entidade será formalizada em breve para atuar na articulação de negócios entre Pernambuco e os 23 países integrantes do grupo

Entidade será formalizada em breve para atuar na articulação de negócios entre Pernambuco e os 23 países integrantes do grupo

Folha de Pernambuco

Uma nova entidade composta por 23 cônsules honorários será criada para promover a economia Pernambucana e negócios entre o Estado e países de todo o mundo. A intenção do núcleo é fazer com que as nações troquem informações estratégicas que auxiliem na movimentação financeira de ambas as partes.

O grupo estratégico está em sua fase final de elaboração e o anúncio sobre a criação foi feito por representantes da Eslovênia, Eslováquia e Cabo Verde durante visita ao diretor Executivo da Folha de Pernambuco, Paulo Pugliesi. Entre os países que integram o núcleo, estão Colômbia, Guatemala, Áustria, Bélgica, Bulgária, Cabo Verde, Chipre, Eslováquia, Espanha, Eslovênia, Finlândia, Grécia, Holanda, México, Malta, República Tcheca, Romênia, Senegal, Suécia, Suíça, Costa do Marfim, Equador e Filipinas.

Leia também:
Itália inaugura consulado no Recife e anuncia parcerias com indústria da moda e uva de Petrolina


De acordo com o cônsul honorário da Eslovênia em Pernambuco, Rainier Michael, as conversas do grupo surgiram do interesse dos países em movimentar a economia. “É um grupo que nasceu de maneira informal com representantes em Pernambuco, que é um hub aqui no Nordeste. A ideia é facilitar a troca de informações, conseguir informação de algum órgão do governo, entidades. Não estamos apenas para fazer evento da data nacional, queremos gerar negócios, fortalecer as relações”, contou.

De acordo com o cônsul honorário de Cabo Verde em Pernambuco, José Ricardo Galdino, a intenção é fazer com que os países contribuam com as exportações em Pernambuco. “Pernambuco tem que estar dentro desse conhecimento consular. A nossa estratégia é que a união faz a força, conhecendo a economia, gastronomia, cultura de cada país. Pernambuco precisa exportar mais, e tem total capacidade de ser o porta-voz de uma boa economia, fortalecendo o Estado com outros países”, disse.

O cônsul honorário da Eslováquia no Recife, João Alixandre Neto, destaca que os representantes se encontram a mais de um ano e a Eslováquia já troca experiências com pernambucanos. “Já temos nossas reuniões mensais e temos encontros especiais dependendo do assunto que vamos abordar. Nós já tivemos outros encontros que fizemos uma ponte com Pernambuco para trocar nossas experiências, em diversas áreas”, afirmou.