Trabalhador morre durante transporte de plataforma da Petrobras

De acordo com o comunicado da Petrobras, seis trabalhadores passaram mal após a ingestão de álcool etílico e um deles morreu

De acordo com o comunicado da Petrobras, seis trabalhadores passaram mal após a ingestão de álcool etílico e um deles morreu

De acordo com o comunicado da Petrobras, seis trabalhadores passaram mal após a ingestão de álcool etílico e um deles morreu

Folha de Pernambuco

A Petrobras divulgou um comunicado, hoje (8), no qual lamenta a morte de um trabalhador durante o transporte da plataforma P-70, da China para o Brasil. A plataforma foi construída no estaleiro COOEC, em Qingdao, na China.

De acordo com o comunicado, seis trabalhadores passaram mal após a ingestão de álcool etílico e um deles morreu. "Os demais foram internados na África do Sul e estão estáveis", informou a estatal. Não foram fornecidos detalhes das circunstâncias em que ocorreu a ingestão de álcool etílico.

Segundo a Petrobras, os trabalhadores são da empresa holandesa Boskalis, contratada pelo estaleiro para realizar o transporte da plataforma. Nenhum deles integra os quadros da estatal brasileira.

Leia também:
Petrobras é informada sobre intermediários em possível venda de ações
Demissões no Estaleiro Atlântico Sul são questionadas
Após recorde de novas plataformas, contribuição do petróleo no PIB deve desacelerar

"A Petrobras está garantindo que toda assistência seja prestada. A companhia está em contato com o estaleiro chinês COOEC, contratante da Boskalis, para que todas as providências cabíveis sejam tomadas", diz o comunicado.

De acordo com a Petrobras, o ocorrido com os seis trabalhadores não impacta no cronograma de implantação da nova estrutura. Ela está sendo transportada pela modalidade dry tow. "Ao invés de ser conduzida por rebocadores oceânicos, a unidade será embarcada em um semi-submersible heavy lift ship (navio semissubmersível para transporte de carga pesada)", informou a estatal brasileira quando anunciou no mês passado a conclusão da P-70.

Segundo a Petrobras, esta é a segunda vez no mundo que o transporte de uma estrutura desse porte usa a modalidade dry tow. A primeira foi com a P-67. A estatal afirma que o dry tow reduz em cerca de 40 dias o tempo de viagem da China ao Brasil.

Plataforma

Prevista para operar na Bacia de Santos, a P-70 tem capacidade para produzir 150 mil barris de óleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Ela faz parte de uma série de plataformas que respondem por parte da produção no pré-sal. As unidades P-66, P-67, P-68 e P-69 já tiveram a operação iniciada.

A plataforma pesa aproximadamente 78 mil toneladas.

A Boskalis foi procurada pela Agência Brasil, mas não retornou ao contato.