Autoconhecimento

Reprodução

A jornada é longa e conhecer a si mesmo em todo âmbito, é necessário para desenvolver a inteligência emocional. A prática de se autoconhecer faz com que uma pessoa tenha controle sobre as suas emoções, desta forma a estabilidade emocional impede que o rendimento pessoal ou profissional tenha uma brusca queda.

Conhecer a si mesmo ajuda a resolver de forma ponderada as situações que ocorrem no dia a dia, desde as mais simples até as mais complexas.

O autoconhecimento anda junto com os objetivos e metas, alinhando o controle das emoções e dos objetivos, é mais fácil de fazer escolhas que facilitam a alcançá-los, tanto para a vida profissional quanto para a vida pessoal. O autoconhecimento ajuda a tomar decisões sem precipitação ou desconexas. Pessoas que não se conhecem, não têm consciência das suas escolhas, podendo se deparar com resultados negativos que interferem na maioria das vezes, na distorção da autoimagem, deixando-a cada vez mais confusa e sem foco. Dificultando a trajetória e seus posicionamentos. A dúvida não é inteira ruim, pois a dúvida leva à reflexão, à organização dos pensamentos, fazendo com que o indivíduo em questão se torna mais maduro para suportar a vida e os devaneios que possa enfrentar no percorrer da vida.

O autoconhecimento nos permite romper a barreira existente entre a razão e a emoção, nos ajudando a enfrentar os sentimentos como insegurança, inadequação, medo, baixa autoestima, inquietude, frustração, ansiedade, instabilidade emocional, culpa e todos os outros sentimentos que nos tornam pessoas difíceis de conviver e de alcançar o sucesso profissional.

O autoconhecimento é importante porque ajuda a desenvolver a consciência de quem você é de verdade, avaliando seus pontos positivos e negativos. Ao reconhecer seus pontos negativos, é

importante que comece a trabalhá-los um por um. E aprimorar os pontos positivos para que se mantenham em destaque.

Outra perspectiva é olhar para dentro de si, tomar consciência dos seus sentimentos e ter coragem para encarar seus medos, inseguranças e limitações, pois, fazendo isso, se sente mais forte e preparada para enfrentar desafios e tomar decisões importantes. Em alguns casos, por não termos este autoconhecimento, nos vemos perdidos diante de algumas situações e nos tornamos inseguros.

O autoconhecimento permite ampliar nossa consciência, enxergar os potenciais que foram, em algum momento, esquecidos.

Isso significa que a prática do autoconhecimento nos leva a um caminho novo e de descobertas que possibilitará ser mais assertivo e trabalhar naquilo que nos dá prazer.

Visualize o exemplo:

Mariazinha não conhece o que gosta e nem o que faz bem, assim tem dificuldade em escolher uma faculdade, ficando frustrada por pensar que não é boa em nada e atrasando os planos que tinha para o futuro.

Joãozinho está em um novo emprego, e percebe que está muito desastrado e desatento no serviço por não conseguir controlar as suas emoções, como ansiedade e medo de errar.

Nos dois exemplos eles têm dificuldades em lidar com as situações cotidianas, Mariazinha precisa se conhecer para conseguir traçar um trajeto. Joãozinho precisa compreender as suas emoções para que não interfiram no seu trabalho. O autoconhecimento gera soluções para problemas que parecem ensurdecedores. Às vezes uma simples análise interna é necessária para que toda a confusão mental, o medo, a culpa, a ansiedade, sejam atenuadas.

Destaca-se que o autoconhecimento é um processo contínuo, nunca nos conhecemos 100%, até porque estamos sempre em

processo de mudanças e evoluindo internamente, por isso é necessário que o autoconhecimento seja diário e perseverante para não se perder na sua trajetória.

Como praticar o autoconhecimento?

QUESTIONE-SE

Questionar-se é primordial para entender a situação sob várias perspectivas, chegando a vários resultados até se encontrar em algum. O questionar-se é dar-se oportunidades de acertar sem precisar errar primeiro. E se errou? Questione-se e veja quais possibilidades poderiam contornar melhor sem ser ofensivo.

PERMITA-SE SENTIR

Como saber lidar com as suas emoções e controlá-las se não permite senti-las? Pode ser doloroso esse processo de sentir, ainda mais para alguém que já se acostumou a ignorá-las, entretanto, o sufocamento que isso causa é o gatilho para criar uma bomba e quando passar do seu limite, estourá-la. Causando um estrago em si mesmo e ferindo quem estiver ao seu redor.

Não pode deixar chegar a esse ponto, no ponto de já estar desgostoso com tudo e não querer melhorias. Por isso é essencial sentir, assim conseguirá conhecer seus limites, o que te acalma e como controlar as suas emoções em meio ao caos, para que a razão esteja na frente da emoção nesses momentos.

RESPONSABILIZE-SE

Não fuja das suas responsabilidades, é comum esquivar das responsabilidades jogando a culpa no outro, afinal não se conhece ao ponto de saber das suas capacidades. Responsabilize-se e desta forma conseguirá mudar atitudes que te prejudicaram.

OBSERVE

A observação é uma aliada para o autoconhecimento. Observe a sua rotina, as suas atitudes, os seus sentimentos, as ações e

reações. Só assim você encontrará as suas respostas. Quem só fala e não ouve, não aprende. Se silencie e observe para entender melhor o seu interior.

Por fim, seja você mesmo. Não sinta vergonha do passado e das suas escolhas, se não gostou, não reproduza novamente! Um erro não se conserta com outro erro, mas sim com um acerto. A busca do autoconhecimento não pode ser deixada de lado, é de suma importância para alcançar o sucesso e conviver melhor na sociedade.

“O processo de autoconhecimento é doloroso, mas após a dor vem o alívio, de poder viver a sua individualidade e liberdade. ” Deise Barreto.

Últimas