Luiz Fara Monteiro 737 MAX e novo jato cargueiro impulsionam pedidos da Boeing 

737 MAX e novo jato cargueiro impulsionam pedidos da Boeing 

Fabricante adicionou 75 novos pedidos líquidos de jatos em janeiro, impulsionados pelo lançamento de seu grande novo jato cargueiro , o 777-8F

Boeing 737-8MAX

Boeing 737-8MAX

Boeing - Divulgação

A Boeing divulgou dados na terça-feira mostrando que adicionou 75 novos pedidos líquidos de jatos em janeiro, impulsionados pelo lançamento de seu grande novo jato cargueiro , o 777-8F, e mais pedidos para o 737 MAX.

As entregas de aviões permaneceram baixas em 32 no mês, apenas três das quais foram as aeronaves widebody maiores construídas em Everett, segundo informa o correspondente par aviação do Seattle Times, Dominic Gates.

A Airbus em janeiro perdeu mais pedidos por meio de cancelamentos do que reservou, encerrando o mês com um déficit de 16 aviões. E a Airbus entregou apenas 30 aviões no mês.

O pedido da Qatar Airways para o novo cargueiro da Boeing adicionou um aumento líquido de 14 pedidos para o próximo 777X, depois de subtrair 20 pedidos para a versão de passageiros que a companhia aérea converteu para o novo modelo de carga.

Isso eleva os pedidos não atendidos do 777X para 334 aviões. No entanto, o Seattle Times estima que mais de 50 deles foram classificados como duvidosos devido a questões contratuais ou de financiamento.

Além disso, a Boeing ganhou oito pedidos para o atual modelo de carga 777, o 777F, agora o jato cargueiro mais vendido da fabricante de aviões . Esses consistiam em dois do Qatar, quatro da China Airlines de Taiwan e mais dois de clientes não identificados.

A Boeing também recebeu 53 pedidos líquidos para o MAX, incluindo 23 da American Airlines e uma dúzia da Southwest Airlines, que já fez 440 pedidos para o MAX.

Além de conquistar os novos pedidos, a Boeing restaurou um total líquido de 23 aviões à sua carteira oficial de pedidos após removê-los anteriormente por falta de financiamento para concluir as compras ou dificuldades contratuais.

Esses aviões agora de volta ao livro de pedidos oficial incluem 20 dos jatos de passageiros 777X, o primeiro dos quais deve ser entregue no final de 2023.

Isso eleva o backlog total da Boeing para 4.316 aviões, dos quais 3.405 são MAXs.

A Airbus registrou novos pedidos brutos para 36 jatos de corredor único, mas registrou cancelamentos de pedidos para 50 de seus A321neo, anteriormente vendidos, bem como um cancelamento para dois de seus maiores aviões, o A350-1000.

Isso eleva o backlog total da Airbus para 7.036 aviões, dos quais 5.759 são A320neos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas