Luiz Fara Monteiro Força Aérea participa de Feira Internacional de Defesa e Segurança

Força Aérea participa de Feira Internacional de Defesa e Segurança

Exposição em Brasília contou com apresentação de Projetos Estratégicos da Força Aérea

Feira Internacional de Defesa e Segurança

Feira Internacional de Defesa e Segurança

Sargento Mônica / CECOMSAER

A Força Aérea Brasileira (FAB) participou, nos dias 24, 25 e 26 de novembro, da Feira Internacional de Defesa e Segurança - Conferência de Sistemas e Tecnologia Militar (CSTM). A 10ª edição do evento ocorreu no Estádio Nacional, em Brasília (DF) e teve como tema principal o setor de Defesa, com debate e exposição de produtos, soluções e tecnologias do segmento.

O evento reuniu as Forças Armadas e também autoridades governamentais, diplomáticas, integrantes da Segurança Pública, pesquisadores, dentre outros. A edição da CSTM 2021 recebeu mais de 60 expositores, com expectativa de 8 mil visitantes.

A FAB contou com um estande institucional, onde foi possível conhecer mais dos Projetos Estratégicos da Instituição, como o novo caça F-39-Gripen, o cargueiro KC-390 Millennium e o Programa de Sistemas Espaciais (PESE), que foram exibidos em um monitor.

Além disso, por meio de uma mesa interativa, os visitantes puderam conhecer vários programas desenvolvidos pela Força Aérea na área de defesa, como mísseis, bombas, veículos lançadores, entre outros.

Evento contou com apresentação de Projetos Estratégicos da Força Aérea

Evento contou com apresentação de Projetos Estratégicos da Força Aérea

Sargento Mônica / CECOMSAER

Um dos visitantes da feira, Jonatas dos Santos Silva Coutinho, disse que foi uma satisfação conhecer mais dos Projetos da FAB. "Gostei de conhecer um pouco mais sobre os armamentos e as aeronaves. Os vídeos são interativos e explicativos", disse.

Durante a feira, foram realizadas demonstrações e palestras sobre questões relacionadas à Defesa e Segurança no Brasil e no mundo. Os temas foram técnicos, econômicos, políticos e jurídicos, com destaque sobre as potencialidades da Base Industrial de Defesa (BID) no País.

As conferências também trataram de temas como dependência tecnológica de produtos de Defesa fabricados no exterior, políticas públicas voltadas para o setor de Defesa, complexo industrial militar e a inovação tecnológica.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas