R7 Planalto Ao lado de Bolsonaro, Pacheco fala em manter auxílio emergencial

Ao lado de Bolsonaro, Pacheco fala em manter auxílio emergencial

Novo presidente do Congresso Nacional discursou, nesta quarta-feira (3), na abertura dos trabalhos legislativos de 2021

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7 em Brasília

Na imagem, Bolsonaro, Pacheco e Lira

Na imagem, Bolsonaro, Pacheco e Lira

Cleia Viana / Câmara dos Deputados / 03.02.2021

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o novo presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), defendeu nesta quarta-feira (3) a volta do auxílio emergencial e a independência entre os Poderes.

"Trata-se de um duro dilema, pois existe uma enorme parcela da sociedade em condição de vulnerabilidade econômica e social, da qual não podemos descuidar e negar. Por outro lado, não podemos descuidar o indispensável equilibro fiscal", disse.

"Por essa razão, estamos estabelecendo, junto ao nosso colégio de líderes e equipe econômica do governo federal, um caminho para compatibilizar o auxílio governamental aos mais carentes, que ainda é absolutamente necessário nesse momento, com os princípios e fundamentos que norteiam a responsabilidade fiscal", acrescentou.

Há cinco dias, Bolsonaro voltou a negar a possibilidade de retomar pagamentos do auxílio emergencial. "Lamento, o pessoal quer que continue (o auxílio), vai quebrar o Brasil. Vem inflação, descontrole da economia, vem um desastre e todo mundo vai pagar caríssimo. Temos que trabalhar", disse. Bolsonaro também voltou a citar que a capacidade de endividamento do país "chegou ao limite".

Pacheco, que foi apoiado por Bolsonaro durante a eleição à presidência do Senado, falou, ainda, sobre a independência entre os Poderes. "Quero deixar bem assentada a minha defesa como presidente do Senado da plena independência e harmonia entre si dos poderes da União. Não pode haver desequilíbrio nessa equação. Não podemos defender a independência ou harmonia ao sabor do momento, ao sabor de quem ocupa os cargos de relevo ou de nossas convicções políticas ou pessoais. A nação brasileira espera muito mais de nós", afirmou.

O novo presidente falou também sobre pautas consideradas prioritárias para o ano legislativo. "Além das reformas tributária e administrativa, precisamos avançar na segurança pública, no combate à corrupção, na melhoria da eficiência da prestação jurisdicional, na preservação do meio ambiente, em equilíbrio com o necessário desenvolvimento econômico, nos direitos das mulheres, entre outros grandes temas nacionais".

Últimas