R7 Planalto PF faz ação contra suposto atentado a deputado federal no MS

PF faz ação contra suposto atentado a deputado federal no MS

Carro do parlamentar Loester Trutis (PSL) foi alvejado com cinco tiros em fevereiro deste ano. STF expediu 10 mandados de busca e apreensão

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, deputado federal Loester Trutis (PSL-MT)

Na imagem, deputado federal Loester Trutis (PSL-MT)

Reprodução Câmara dos Deputados

A PF (Polícia Federal) deflagrou, nesta quinta-feira (12), a operação Tracker, com a finalidade de investigar suposto atentado contra o deputado federal Loester Trutis (PSL-MS).

De acordo com a instituição, estão sendo cumpridos, ao todo, 10 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal), sendo nove no Estado do Mato Grosso do Sul e um em Brasília, com a participação de 50 policiais federais.

Relembre: Deputado federal do PSL tem carro baleado em Mato Grosso do Sul

O nome da operação, Tracker, faz referência ao trabalho investigativo realizado pela PF em busca de provas para a elucidação dos fatos e identificação dos autores. A investigação segue em segredo de Justiça.

Trutis informou, em fevereiro deste ano, que foi vítima de um atentado em Mato Grosso do Sul. Segundo a nota do parlamentar divulgada na época, seu carro levou pelo menos cinco tiros. O deputado disse que "conseguiu revidar o ataque". Segundo ele, "apesar da emboscada, todos estão bem e sem ferimentos".

Veja também: Polícia Federal facilita posse e porte de armas no Brasil

O parlamentar se define no Facebook como "conservador, pró-armas, anticomunista e carnívoro". "Conhecido nacionalmente por seu empreendedorismo e opiniões firmes sobre pautas de direita como: antiaborto, antidemarcações de terras como indígenas e penas mais duras para crimes como o estupro e o roubo seguido de morte. Defensor ferrenho do direito do cidadão ter porte de arma e cortes de privilégios para políticos", afirma o seu perfil na rede social.

A reportagem busca contato com o parlamentar. O espaço está aberto para manifestação.

Últimas